Jesus está a correr atrás de Ti

Nas "cartas de amor" escritas por Deus existe um fato muito intrigante: de Génesis a Apocalipse o amor gratuito de Deus é manifestado a toda a humanidade!
E foi movido por esse grande amor que, "lá no princípio", depois da queda do homem, Deus saiu à procura do seu filho ingrato e lhe fez a seguinte pergunta:
"Onde estás?" (Gênesis 3:9)
Mas Deus não se limita apenas a sentir saudades da sua criatura amada. Na verdade, o amor de Deus "tudo sofre" (I Coríntios 13:7) e, é por isso, que Ele assumiu como seus os pecados de toda a humanidade!
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único filho para que todo o que nele crê, não pereça mas tenha a vida eterna." (João 3:16)
O mais emocionante disto tudo, é que foi Deus quem nos amou em primeiro lugar, sendo nós ainda pecadores:
"Mas Deus prova o seu amor para connosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8)
Portanto, não são os nossos pecados, debilidades, fraquezas ou deficiências que podem nos separar do amor de Deus. De facto, NÃO HÁ NADA QUE NOS POSSA SEPARAR DO GRANDE AMOR DE DEUS:
"Pois eu estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demónios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação é capaz de nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor." (Romanos 8:38-39)
Mas, se ainda existe um pingo de incredulidade nos nossos corações a respeito da veracidade do amor gratuito e incondicional de Deus, eu gostaria de partilhar convosco a experiência de um jovem que certo dia afirmou que "se preciso fosse morreria com o seu Mestre Jesus".
Ora bem, não foi preciso muito tempo para o nosso jovem concluir que não podia confiar na sua própria força. Na verdade, quando o Mestre mais precisou de si, "o exemplar cristão" negou 3 vezes Jesus antes do galo cantar.
Já descobriram de quem eu estou a falar? Exactamente, Pedro, um dos amigos mais íntimos de Jesus! 

Sabem porquê é que amar é um desafio? Porque o amor envolve liberdade. Nós podemos amar alguém de todo o nosso coração e, num belo dia, o objecto do nosso amor, simplesmente nos dizer: "Lamento imenso, mas eu não posso corresponder ao amor que tens por mim..."
Deus estava ciente da possibilidade de amar e não ser amado. Mas, ainda assim, Ele escolheu nos amar e correr o risco de ser rejeitado! 

Voltemos os holofotes para Pedro. Este jovem cristão, outrora valente e destemido, agora se encontrava no "fundo do poço", mergulhado nos sentimentos de culpa, vergonha e dor.
Mas, aquele Deus que "lá no princípio" correu atrás da homem desobediente é o mesmo que agora, por meio de Jesus, vai à procura de Pedro e amorosamente lhe pergunta:
"Simão Pedro, você me Ama? " (João 21:15)
Reportando para o século XXI, o que Jesus estava a querer dizer era basicamente isto:
"Pedro, pára de dar desculpas. Eu não quero saber o que fizeste de errado no passado.  Eu só quero saber se tu me amas. Amas-me? Então aceita-me como teu "bom pastor" (Salmos 23) e deixa-me guiar o teu presente e futuro.
Sabem, quando Jesus olha para a sua criatura, Ele não repara no que ela é (os seus defeitos e manchas de carácter), mas Ele se concentra no que a sua obra-prima pode se tornar se deixar que Deus assuma o primeiro lugar na sua vida!

Aquele Jesus que "no princípio" correu à procura do seu filho rebelde, é o mesmo Deus que foi à procura de Pedro e que hoje está a correr atrás de ti!!!
JESUS CRISTO É O MESMO ONTEM, HOJE E ETERNAMENTE (Hebreus 13:8)



Doce Lugar  

Comentários