Pular para o conteúdo principal

Cada Dia uma Nova História - Inspiração Juvenil

O mal destruidor
Todos dizem mentiras uns aos outros; um engana o outro com bajulações. Salmo 12:2
Você está linda, amiga! - disse Suzana. - Sério? Não estou me sentido bem neste vestido - Marcela olhou-se no espelho.
- Ficou perfeito - Suzana preferiu mentir a falar sua opinião.
- Eu não gostei - disse Janaína, outra amiga que estava no provador. - Esse modelo não ficou bem em você.
Era muito evidente para Marcela que aquela roupa não a vestira bem, e que Suzana estava bajulando-a e mentindo descaradamente. Não era a primeira vez que ela fazia elogios falsos. Aliás, Marcela já tinha ouvido que Suzana falava mal a seu respeito, espalhava fofocas e, às vezes, contava para outras meninas as confissões que havia feito a ela.
Definitivamente, Suzana não era uma pessoa confiável. Marcela tirou o vestido e provou outra peça e, como sempre, a opinião da bajuladora não teve muito valor.
Existem vários tipos de mentira, e todas elas não só prejudicam suas vítimas, mas também o próprio mentiroso. Há pessoas tão acostumadas a dizer falsida­des que ninguém acredita mais nelas. Para outras, a mentira se torna um vício tão arraigado que elas passam a crer nos próprios enganos.
Às vezes, a palavra falsa é uma forma de se esconder e não revelar o que se pensa ou o que se sente. Assim, o mentiroso prefere falar algo que agrade quem está ao redor do que dizer a verdade.
A mentira é um grande mal. Sobre ela, Mahatma Gandhi disse: "Assim como uma gota de veneno compromete um balde inteiro, também a mentira, por menor que seja, estraga toda a nossa vida."
A reação automática para quem reconhece uma mentira é perder toda a con­fiança naquele que a disse. É como se uma farsa, por menor e insignificante que seja, colocasse em dúvida a credibilidade de todas as palavras e atitudes anteriores.
A falsidade é um mal que destrói a vida, o nome, a imagem da vítima e da­quele que a profere. É justamente por isso que a mentira é definida como pecado (Êxodo 20:16), pois nos separa de Deus e das pessoas.
Afaste-se desse mal. Não permita que qualquer tipo de engano saia de sua boca, pois o efeito dela é sempre devastador, para todos.


Gastando sorrisos
Tenham sempre alegria, unidos com o Senhor! Repito: tenham alegria! Filipenses 4:4
De dentro do carro, Sérgio observava a filha no portão da escola. Rose era mui­to sorridente ao lado dos amigos que saíam no fim da aula. Ela ria enquanto caminhava para o estacionamento, e o pai ficou feliz por vê-la tão radiante e enturmada.
Rose se despediu da turma, entrou no carro e disse um breve "oi". Sérgio ligou o veículo e dirigiu para casa, enquanto a filha, agora séria, mexia em algum aplicativo do celular.
- Gastou todos eles lá fora? - o pai perguntou.
- Gastou o quê? - Rose levantou os olhos do telefone.
- Creio que você deveria guardar um pouco para mim e para o pessoal lá de casa.
- Do que você está falando, pai?
- Dos seus sorrisos. Acho que você gastou todos com seus amigos e não sobrou nenhum para mim.
Rose riu de forma agradável. Largou o celular de lado, deu um beijo no rosto do pai e disse:
- Ah, pai! Às vezes, você é tão bobo... Eu ainda tenho muitos sorrisos guarda­ dos, mas nem todos são para você. Guardei uns para a mamãe e para o maninho.
Há pais e filhos que não se alegram no convívio familiar. Parece que gas­tam todo seu bom humor com os amigos, fora de casa: um homem de negócios simpático com os clientes, uma mulher agradável com as amigas ou um jovem educado com os colegas. No entanto, todos carrancudos em casa. Dão o melhor para os outros e se esquecem dos pais, filhos e cônjuges.
O poeta inglês Joseph Addison disse que "o sol é para as flores o que os sorri­sos são para a humanidade". O seu sorriso é o sol da sua casa. Ele ilumina o dia e anima seus pais e todos que moram com você. Reserve sorrisos, beijos, abraços, carinhos e diálogo para sua família.
Você anda carrancudo em casa? Vista-se da alegria de Deus e celebre a vida com seus queridos.

GPS de Deus
A Tua palavra é lâmpada para guiar os meus passos, é luz aue ilumina o meu caminho. Salmo 119:105
Saulo e Cris sacolejavam dentro do carro.
- Você tem certeza de que é por aqui? - perguntou a mulher olhando para a exótica paisagem. - Não tem outro caminho?
- Eu atualizei o GPS com o mapa dessa trilha. Não tem erro - respondeu Saulo.
- Este caminho é tortuoso, cheio de pedras e buracos.
- Olhe para fora de novo - Saulo apontou para o cume da montanha, forrado por copas de árvores cobertas de névoa. - Lá de cima, do topo, será ainda mais belo.
Com dificuldade, seguiram trilha acima até alcançarem um ponto por onde o carro não poderia mais trafegar. Colocaram as mochilas nas costas e continuaram a subida a pé. O GPS indicava um caminho estreito, levando o casal para o alto por meio de uma senda sinuosa. Quando finalmente alcançaram o pico, a visão que tiveram foi incrível. Todos os esforços foram recompensados por aquele momento. Saulo lembrou-se de um pensamento de Sêneca:"É penoso o caminho que conduz ao cume da glória."
As rotas para a glória nunca são fáceis ou largas. Ao contrário disso, Jesus afirmou que o caminho fácil leva apenas para a perdição (Mateus 7:13). Embora a estrada para o Céu seja difícil e penosa, temos um mapa que é a Palavra de Deus. Ela nos indica a rota certa, livrando-nos das trilhas erradas. A Bíblia é o GPS do cristão e aponta para um destino chamado salvação. Sem ela, é impos­sível encontrar a direção correta.
Apesar das dificuldades e lutas que encontra em sua jornada para o Céu, o cristão é sempre consolado, apoiado e impulsionado por um Guia especial, o Espírito Santo. Ele nos dá ânimo, força, apoio e consolo durante todo o trajeto para o lar celeste. Mesmo em meio aos obstáculos, podemos contar com o poder do Consolador atuando em nossa vida.
Se o caminho parece duvidoso, não tema. Em oração, estude o GPS de Deus, que é a Bíblia Sagrada. Ela é a fonte da sabedoria que indicará por onde você deve caminhar. Além disso, conte com o apoio do Espírito Santo que habi­ta em seu coração. Ele o consolará nos momentos de provação e lhe dará poder para manter-se no caminho da vida eterna.


Vida noturna
Eu amo os que Me amam, e os que de madrugada Me buscam, encontram. Provérbios 8:17, AEC
Fabíola estava totalmente envolvida nas sensações da balada. A música em alto volume fazia o corpo dela mexer numa dança frenética. O sorriso escancarado era reflexo do efeito de diversas doses de bebida alcoólica. Tudo era uma fuga do cansaço, tristezas, dor e preocupações. Dançar a noite inteira, atravessando a madrugada movida pelo ritmo da música eletrônica, era uma busca por prazeres rápidos e anestesiantes. Fabíola sabia que, no outro dia, só lhe restaria uma ter­rível dor de cabeça e o retorno de toda a ansiedade ao coração. Apesar disso, ela publicaria fotos sorridentes nas redes sociais, demonstrando o quanto sua vida noturna era divertida.
Em outro lugar da cidade, Lucas estava ajoelhado. Também tinha preocupa­ções e dúvidas; e, em oração, expunha sua angústia ao Senhor. Estava aflito, pois tinha várias dificuldades; porém, em seu coração havia um desejo enorme de me­lhorar a vida. Naquela noite, ele chorou contando todos os seus problemas para o Criador. Lucas procurou e encontrou seu Deus.
Para o cristão, a oração é a melhor maneira de enfrentar a aflição. Nas ma­drugadas escuras de choro ou desespero, encontramos o Senhor. A "fuga" da­quele que crê em Deus não é uma balada com prazeres passageiros regados a bebida alcoólica e relacionamentos superficiais. O salmista escreveu: "O choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria" (Salmo 30:5).
Os males do coração não são aliviados com as anestesias que o mundo nos oferece, pois assim que passam seus efeitos, toda dor continua exatamente do mesmo jeito. Às vezes, até pior!
Por sua vez, aqueles que buscam o verdadeiro consolo eficaz, podem sentir a presença de um Grande Amigo que nos fortalece para enfrentar todos os obstáculos que se apresentam.
Quando você estiver vivendo um momento difícil, busque a Deus nas ma­drugadas. No silêncio da noite, você encontrará Jesus disposto a revigorar suas forças.

Escolha seu Deus
Elias chegou perto do povo e disse: - Até quando vocês vão ficar em dúvida sobre o que vão fazer? Se o Senhor é Deus, adorem o Senhor; mas, se Baal é deus, adorem Baal! Porém o povo não respondeu nada. 1 Reis 18:21
O profeta Elias estava no topo do monte Carmelo, rodeado por uma multidão de israelitas que haviam se afastado de Deus. Em torno dele, também havia 400 sacerdotes do falso deus Baal,
Elias havia proposto um desafio: os sacerdotes de Baal fariam um altar e lhe apresentariam sacrifícios, Elias faria o mesmo ao Deus de Israel. Aquele que respondesse às orações e enviasse fogo para consumir os sacrifícios, seria o ver­dadeiro Deus.
Os 400 falsos profetas oraram por horas, clamando inutilmente para que seu deus queimasse as ofertas. Chegaram a se cortar com facas e punhais, con­forme a exigência da divindade que cultuavam. O clamor durou até o meio da tarde. Elias começou a caçoar dizendo: "Orem mais alto, pois ele é deus! Pode ser que esteja meditando ou que tenha ido ao banheiro. Talvez ele tenha viajado ou talvez esteja dormindo, e vocês terão de acordá-lo!" (l Reis 18:27).
Na hora do sacrifício da tarde, Elias restaurou o altar do Deus verdadeiro. Sobre o sacrifício jogou jarros de água e em seguida orou. O Senhor respondeu o pedido de Seu servo e mandou fogo do céu, que consumiu o sacrifício e secou toda a água derramada sobre o altar.
"Quando viram isso, os israelitas se ajoelharam, encostaram o rosto no chão e gritaram: - O Senhor é Deus! Só o Senhor é Deus!" (l Reis 18:39).
Baal era a "divindade da moda" daquela época, e muitos se desviaram para adorá-lo. O povo de Israel precisou passar por duras aflições para entender quem era o verdadeiro e único Deus de Israel.
Nosso tempo também possui falsas divindades e uma das maiores é a deusa das sensações. Vivemos numa época onde os sentidos estão acima de uma expe­riência sólida e racional com o Criador.
Muitos estão abandonando o Senhor em busca das emoções superficiais despertadas pelas drogas e prazeres momentâneos ofertados por essa deusa. Adoram os sentimentos, preferindo-os no lugar da presença protetora e majes­tosa do Grande Rei do Universo.
Hoje, você precisa escolher o senhor de sua vida. Você preferirá a deusa das sen­sações deste mundo caído ou o verdadeiro Deus de amor? Qual será sua decisão?

Espinhos
Mas os pagãos são como os espinhos jogados fora: ninguém se atreve a pegá-los com as mãos. 2 Samuel 23:6
Ele morde? - perguntou um dos garotos olhando para algo entre os arbus­tos que nasciam ao lado do muro da escola.
-  Não sei, mas acho que fura! - respondeu uma garota de óculos.
Incontáveis alunos rodeavam aquele pequeno local onde, encolhido perto do tronco do arbusto, havia um estranho animal. Alguém chamou o monitor e o professor de biologia para que eles tentassem identificar o que era.
- É um ouriço - esclareceu o professor.
- E parece que ele está um pouco machucado - completou o monitor estendendo a mão para pegá-lo.
- Não faça isso! - gritou o professor - Ouriços são revestidos por espinhos.
Quando sentem algum perigo, eles se encolhem e deixam os espinhos à mostra.
- E o espinho mata? - um dos alunos curiosos perguntou enquanto todos apenas observavam.
- Não, mas é preciso tomar cuidado, pois seu espinho pode provocar um ferimento muito dolorido.
Foi preciso cautela para resgatar o animal, tratá-lo e levá-lo para um local apropriado, pois ele sempre estava com seus espinhos prontos para ferir.
Você já teve alguma atitude parecida? Já se "encolheu" ao sentir perigo, ou ao ficar com medo ou tristeza? Já apontou espinhos venenosos para pessoas que só queriam ajudá-lo?
Há pessoas que, quando sofrem, fogem de todos. Não bastasse isso, agridem com atitudes e palavras aqueles que tentam ajudar. Depois de um tempo, nin­guém mais ousa tentar tocá-las, pois são muito "espinhosas". Alguns se armam até contra Deus, não buscando nEle o apoio de que precisam.
É justamente nas horas difíceis que mais precisamos dos amigos e das pes­soas que amamos. Quando nos sentimos ameaçados, devemos compartilhar o que sentimos com alguém que nos ama. Nesses momentos, é imprescindível que recoloquemos nossa vida nas mãos de Deus. Se você se sente intimidado, não se feche. Permita que Deus e Seus servos ajudem você.

Boca suja
A sua boca está cheia de maldições, mentiras e ameaças. Ele só fala de desgraças e de maldades. Salmo 10:7
As palavras que saíam da boca de Adriano são impublicáveis. Ele era um ho­mem grosso, estúpido e só fazia brincadeiras que constrangiam as pessoas. E não era só isso: era pessimista e tinha prazer em falar sempre sobre tragédias e maldades.
Adriano era preconceituoso e discursava com ódio contra descendentes de todas as raças. Não sabia discutir ideias, pois avançava direto para o ataque pessoal, agredindo e menosprezando qualquer pessoa que pensasse de modo diferente ao dele.
Ele exemplificava o perfil descrito no texto de hoje: sua boca era cheia de maldições, mentiras e ameaças. Adriano parecia ter um prazer mórbido por todo tipo de catástrofes e perversidades. O resultado dessa postura truculenta era um só: ninguém se aproximava dele, pois ficar ao seu lado era simplesmente insuportável.
De fato, é muito difícil ficar perto de alguém mal-educado e que fala somen­te impropérios. Há pessoas que fazem questão de "encher a boca" com palavrões, agredindo a integridade moral daqueles que estão ao redor.
A falta de educação pode ir muito além das palavras. Existem atitudes que demonstram um caráter defeituoso como não ceder lugar no ônibus para uma pessoa idosa, falar enquanto o professor explica a matéria, responder aos pais de forma estúpida ou ouvir música em local público sem se importar se há pessoas incomodadas com o som.
Aliás, o psicólogo americano Frederic Skinner afirmava que "a educação é aquilo que sobrevive depois que tudo o que aprendemos foi esquecido", ou, nas palavras do dramaturgo Karl Kraus: "Educação é aquilo que a maior parte das pessoas recebe, muitos transmitem e poucos possuem."
No mundo atual, parece que está na moda ser "do contra" e utilizar pala­vrões. Infelizmente, muito conteúdo da internet está poluído com itens dessa natureza, desde filmes a memes. Palavras indecentes viraram a matéria-prima de piadas que são verdadeiros lixos.
Não deixe que sua mente seja contaminada por esse tipo de conteúdo impró­prio. Seja sempre educado. Isso fará muito bem a você e aos outros.

Quedas
Se eles caírem, não ficarão caídos porque o Senhor os ajudará a se levantarem. Salmo 37:24
O tombo do menino foi impressionante. Ele vinha correndo quando tropeçou em um monte de terra, deu uma pirueta completa e caiu com a boca no chão. Assustado, levantou-se chorando, com lágrimas e sangue se misturando ao barro grudado em seu rosto. Quando ouviu o choro, sua mãe, Alice, saiu correndo e o ajudou a se recompor.
- A mamãe está aqui! Calma, a mamãe está aqui! - ela dizia para consolar a criança em prantos.
Alice colocou seu garotinho no colo, tirando a areia dos cabelos e do rosto dele. Com um pano molhado, limpou a boca, nariz e os olhos do filho. Enxugou-lhe as lágrimas, viu onde havia machucado e lhe deu um forte abraço. Felizmen­te, havia sido apenas um arranhão. Ela levou o filho para casa, onde pôde passar remédio no pequeno corte e cuidar do menino que certamente cairia outras ve­zes, mas teria sempre a mãe ao lado para ajudá-lo a levantar-se.
Caminhando nesta vida, todos caímos. Imagine se a criança da história de hoje houvesse caído e, por isso, começasse a duvidar da existência ou do amor de sua mãe? A escritora espanhola Teresa de Ávila, refletindo sobre as lutas da vida, escreveu: "Uma prova de que Deus esteja conosco não é o fato de que não venhamos a cair, mas que nos levantemos depois de cada queda."
Este mundo seguiu por um rumo diferente do plano original do Criador. Por consequência do pecado, maldições foram acrescentadas. Em nossa existência, tropeçamos, caímos, machucamo-nos e sentimos dor. Nada disso, porém, anula o fato de que Deus existe; pois nos levantamos, curamo-nos e seguimos adiante.
Não é a queda que nos define, mas a capacidade de nos reerguer com a força que nosso Senhor nos concede. E não importa a altura de que você tenha caído ou a profundidade a que você tenha chegado, Deus tem o poder para res­gatá-lo. Ele o ajuda a levantar-se e lhe dá o poder para ser restaurado e curado completamente.
Se um dia você cair, deixe que o Pai celeste o ajude. Ele o pegará no colo, en­xugará suas lágrimas, curará suas feridas e lhe sussurrará aos ouvidos: "Calma, Papai está aqui!"

O Jogador que faz a diferença
Deus disse: — Eu irei com você e lhe darei a vitória. Êxodo 33:14
Apesar de ser futebol, o jogo daquela turma era vencido na moeda. Quem ganhava o "cara ou coroa" era o primeiro a escolher um jogador, e a opção era sempre muito óbvia: o Alemão!
Alemão era o apelido de um garoto loiro, mais veloz do que qualquer outro da escola e com uma habilidade na bola que desequilibrava todo time. Era sim­plesmente o melhor jogador que já havia passado por aquele colégio.
Naquela tarde, Xavier perdeu o "cara ou coroa" e ficou chateado por não poder escolher o craque. Quando chegou sua vez, tinha à disposição somente os jogadores menos habilidosos. Assim, formou o pior time já escalado em toda a história daquela escola e despertou gargalhadas na equipe adversária que era, obviamente, muito superior. Contudo, antes de iniciar o jogo, Alemão passou para o outro lado e disse:
- Eu vou jogar com eles!
Isso surpreendeu a todos. O time de Xavier agradeceu o apoio e sabia que, agora, não perderiam de goleada. A equipe adversária via que, finalmente, teria a grande chance de derrotar Alemão em uma partida.
Quando o jogo começou, o craque dominou o campo. Coordenou sua equi­pe, armou jogadas e viu seus colegas fazerem gois. Ele corria o gramado inteiro o tempo todo, colaborando na defesa e no ataque e marcando gois também. Qual foi o resultado? O time de Xavier venceu, e todos sabiam que a vitória tinha sido em razão do apoio de Alemão.
Deus faz exatamente isso em sua vida. Ele desequilibra qualquer jogo. Onde Jesus está, há vitória com consequências eternas. Pode ser que a partida esteja difícil, o adversário seja duro, como uma doença, problema familiar ou financei­ro. No entanto, o Senhor organiza tudo para que façamos gois em nossa jornada espiritual e saiamos vencedores.
Se você tem algum desafio pela frente, ouça o Senhor lhe dizendo: "Eu vou a campo com você e lhe darei a vitória." Ele jogará por você e o ajudará a alcan­çar a coroa eterna. No fim, você declarará que a conquista foi por causa do seu grande Deus!

Modelos distorcidos
Irmãos, sigam unidos o meu exemplo e observem os que vivem de acordo com o padrão que lhes apresentamos. Filipenses 3:17, NVI
Por um ano, Everton fez tudo para ser um filho melhor, pois seu pai havia lhe feito uma promessa: "Comporte-se durante este ano e lhe darei um iPad." Foi difícil ser obediente durante esse tempo; pois, muitas vezes, ele queria seguir sua vontade, sem precisar fazer tudo o que seus pais lhe mandavam. A cada pequeno deslize, um olhar do tipo "Você vai ficar sem o iPad" era suficiente para Everton voltar a obedecer.
Entretanto, agora, isso tinha passado. O jovem ganhou o sonhado equipa­mento e, em pouco tempo, já estava totalmente envolvido por ele. Seu rendimento escolar caiu drasticamente, e o menino não se interessava mais em sair com os ami­gos ou praticar esportes. Para piorar, Everton começou a passar horas assistindo a seriados, filmes de extrema violência e conteúdo pornográfico. O que antes era fácil de acessar em um computador, ficara ainda mais em seu tablet,
Everton passou a conhecer um mundo distorcido e limitado de sua pequena tela. Suas ações começaram a ficar iguais às do conteúdo impróprio que con­templava. Passou a ver as mulheres como meros objetos, a ser estúpido com as pessoas e a dizer palavrões com uma frequência assustadora. Tudo se tornaria mais complicado se o pai não tivesse notado com antecedência e lhe retirado o presente que, apesar de premiar sua boa conduta, estava transformando-o em uma péssima pessoa.
Ellen White escreveu que "os estudantes de nossas escolas devem conside­rar que a contemplação do pecado tem trazido inevitáveis consequências, e as faculdades que lhes foram dadas por Deus têm sido enfraquecidas e incapaci­tadas para o progresso moral, por terem sido mal aplicadas" (Fundamentos da Educação Cristã, p. 134).
Quem contempla o mal, além de ficar inclinado à prática de atos que Deus não admite, fica incapacitado de ver as belezas que o Senhor lhe reserva. Atente para as palavras do educador Rubem Alves: "Nós não vemos o que vemos, nós vemos o que somos. Só vêem as belezas do mundo, aqueles que têm belezas dentro de si."
Se você deseja ser uma boa pessoa, contemple o exemplo dos servos de Deus, sobretudo, do maior exemplo a ser imitado: Jesus Cristo, o Salvador.

Caixas de riso
Mas, quanto a você, Ele encherá de riso a sua boca e de brados de alegria os seus lábios. Jó 8:21, NVI
Dona Matilde tricotava na sala de casa e, olhando ao redor, pensava sobre como o mundo havia mudado nos últimos anos. No centro da sala, a neti-nhã estava diante de uma TV imensa, rindo, batendo palmas e rodopiando ao som de um programa musical. Mais ao fundo, o neto adolescente gargalhava na frente de um notebook, e a vovó achou que ele devia estar assistindo a algo realmente muito engraçado, de tanto que ria.
Estirada no sofá ao lado, a neta mais velha colocava os dedos na tela de um pequeno aparelho, sorria e chacoalhava a cabeça, positiva ou negativamente. "Do que ela tanto ri para essa coisinha nas mãos dela?" pensou a idosa mulher.
- No meu tempo não havia essas coisas - disse a avó sem tirar os olhos do tricô. Os três netos olharam surpresos para ela. Dona Matilde continuou:
- Nós ríamos uns com os outros, contando histórias e engraçadas. Não tí­nhamos essas caixas de riso.
Não sou idoso como dona Matilde; porém, na minha adolescência, também não tínhamos as tais "caixas de riso" como celulares, tablets ou notebooks. Nós nos divertíamos entre amigos, rindo muito do que um ou outro contava.
Pense nas seguintes questões: Onde você estava quando deu sua última gar­galhada? Sua última longa conversa com alguém foi por meio de algum aparelho eletrônico? Você prefere ficar procurando memes e vídeos engraçados na inter­net ou ouvir colegas e familiares contando histórias interessantes?
A internet pode ajudar em muitos aspectos, mas tem prejudicado consideravelmente o relacionamento entre as pessoas. Temos, às vezes, perdido o contato com quem amamos - ou com quem podemos amar - de verdade.
O poeta Diego Saldanha compôs os seguintes versos de uma música can­tada por Pedro Mariano: "Eu espero que você não esqueça que eu te contava histórias que valiam risos e memórias tão sinceras." Sentar em família ou entre amigos, compartilhando histórias, geralmente resulta em risos e memórias que ficarão para sempre.
Saia da caixa de risos. Pare por um momento de sorrir sozinho na frente de uma tela de vidro e desfrute a companhia real das pessoas ao redor. Sorrir com elas é infinitamente melhor!

Inspiração Juvenil


Cada Dia uma Nova História







Denis Cruz
(11 Inspirações)

Comentários

Postagens mais antigas

O Verdadeiro Tesouro Mateus 6: 19 a 21

Itamar de Paula Marques

19 - Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os corroem e onde os ladrões arrombam e roubam. NÃO AJUNTEIS PARA VÓS TESOUROS - Literalmente: não sigais fazendo tesouros ou deixai de fazer tesouros. A acumulação de bens terrenos geralmente se deve ao desejo de ter segurança no futuro e reflete temor e incerteza. Jesus indica aos que querem ser cidadãos de seu reino que a posse de riquezas materiais é um motivo de ansiedade mais do que um meio de liberar-se dela. O cristão não se angustia pelas necessidades materiais da vida porque confia em que Deus as conhece e lhe dará o que lhe faça falta versos 31 a 34. Como destaca Paulo, isto não significa que o cristão será indolente ante suas próprias necessidades e as de sua família. Empenhai a vossa honra em levar vida tranqüila, ocupar-vos dos vossos negócios, e trabalhar com vossas mãos conforme as nossas diretrizes.I Tessalonicenses 4: 11; II Tessalonicenses 3: 10; I Timóteo 5: 8. Mateus 6: 1…

Vivendo Seu Amor - Meditação da Mulher

Conexão viva com o Salvador Pois a sua ira só dura um instante, mas o Seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria. Salmo 30:5 Quais têm sido os pedidos que muitas de nós fazemos em oração? Uma viva ligação com nosso Salvador, certo? Fazemos isso ao adorar, louvar, orar, relacionar-nos e testemunhar, onde quer que estejamos. Com o que se parece essa viva ligação na vida cotidiana? Minha amiga me ajuda a entender melhor, pois ela procura viver cada momento em ligação com Cristo. Por exemplo, todos os dias, quando minha amiga vai para o chuveiro, ela usa esse tempo como oportunidade para cantar hinos que louvam e engrandecem o nome de Deus. Às vezes, ela compõe cânticos para glorificá-Lo. Certa vez, quando essa amiga olhou pela janela da cozinha, viu o formato de uma ovelha nas nuvens. Ela sentiu que aquilo era um lembrete de Deus para ela, de que o Cordeiro que foi "morto desde a criação do mundo" (Ap 13:8) está para voltar um dia,…

Aceite o perdão

Sublime Esperança

Sublime Esperança
A Bendita Esperança Vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente. Tito 2:12

Somos exortados a viver sóbria, correta e piedosamente no mundo presente, e a esperar o glorioso aparecimento do grande Deus e Salvador Jesus Cristo. (...)

O tempo exato da segunda vinda de Cristo não nos é revelado. Jesus disse: "A respeito daquele dia e hora ninguém sabe" (Mt 24:36). Mas Ele também deixou sinais de Sua vinda, ao dizer: "Quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas" (v. 33). E disse-lhes que quando os sinais da Sua vinda surgissem, eles deviam exultar e erguer a cabeça, porque a redenção deles estaria próxima. Tendo em vista essas coisas, o apóstolo escreveu: "Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia" (1Ts 5:4, 5). Como não sabemos a hora da vinda de Cristo, precisamos viver sóbria e piedosamen…

Ciência e Religião

O benefício da dúvida
Deu no site da revista Ciência Hoje: “Karl Popper, um dos filósofos mais influentes do século passado, apontou para o fato de que, para ser validada, uma teoria científica deve necessariamente ser confrontada, desafiada, falseada. Dizia que, do contrário, a teoria poderia se tornar dogma – e qualquer dogma, para Popper, seria terrível para a ciência.” A matéria aponta, ainda, a coincidência entre o raciocínio de Popper e um texto publicado pelo jornal britânico The Guardian e repercute pesquisa realizada pela revista eletrônica Edge, que faz, todo ano, uma pergunta para centenas de especialistas de áreas distintas com o objetivo de colher tendências. A pergunta daquele ano foi: “Qual conceito científico poderia aprimorar a ferramenta cognitiva de uma pessoa?” “Artistas, cientistas e filósofos responderam à questão. Surpreendentemente, muitos deles destacaram a relevância dos erros, das incertezas e dúvidas para a ciência e ressaltaram a importância de…

Você passa tempo suficiente com a sua família?

A vida que vale a pena

Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. João 10:10, ARA “A maneira como vivemos é mais importante do que quanto tempo vivemos.” Encontrei essa frase e a história abaixo no livro A Revolução do Espírito, que, entre outros relatos, retrata a vida de Svea Flood. Ela e o esposo, David, em 1921, deixaram a Suécia, depois de aceitar o chamado divino para serem missionários no Congo. Com outro casal de missionários, resolveram evangelizar uma região remota do país. Chegaram à vila de N’dolera, mas não foram aceitos ali, pois o chefe tribal acreditava que se permitisse a presença dos missionários, os deuses locais ficariam insatisfeitos e abandonariam a região. Mesmo com a recusa, resolveram não desistir e se estabeleceram em uma montanha próximo à tribo, onde construíram cabanas de barro enquanto oravam para terem oportunidade de evangelizar o lugar. Isolados na montanha, a única pessoa com quem podiam ter contato era um menino, que havia sido autorizado a visitá-…

A didática da repetição

“Quando, pois, deres esmola, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa” (Mateus 6:2).
Três vezes no capítulo 6 Jesus utiliza o mesmo padrão para atingir Seu objetivo. Ele sabia que a mente humana enfraquecida pelo pecado precisa ouvir as coisas mais de uma vez para assimilar uma lição. E Jesus é o mestre por excelência.
Repare no Seu estilo. Primeiro, Ele delineia o princípio geral no versículo inicial: Não pratique atos piedosos para ser visto pelos outros. Os que assim procedem não receberão outra recompensa a não ser sua própria atitude egocêntrica. Depois, Ele passa a ilustrar essa lição principal a respeito da esmola (versos 2 a 4), da oração (versos 5 e 6) e do jejum (versos 16 a 18).
Todas as três ilustrações seguem o mesmo padrão. Primeiro, vem a descrição da falsa forma de piedade, que se concentra na exibição pública da “santid…

Alimentação: O que é preciso entender sobre a dieta de Adão e Eva?

“E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento”. Gênesis 1:29
Já no primeiro capítulo da Bíblia, existe uma orientação sobre qual deveria ser a alimentação do ser humano. Mas é importante compreender quais alimentos faziam parte desta alimentação original. Toda erva que dê semente é uma expressão que faz referência aos cereais (arroz, trigo, aveia, milho, centeio e cevada) e às leguminosas (feijões, grão de bico, lentilha, ervilha, soja, tremoço e amendoim).
E toda árvore, em que há fruto e que dê semente é uma referência agora são as frutas e também as sementes oleaginosas (castanhas em geral). Isso vos será para mantimento, ou seja, essa era a alimentação original de Adão e Eva. Devemos lembrar que Deus sempre tem lições para nos ensinar por meio da sua palavra. No contexto em que Adão e Eva vivam no Éden, onde não havia morte essa deveria se…

Crianças