Cada Dia uma Nova História - Inspiração Juvenil



Caixas de riso
Mas, quanto a você, Ele encherá de riso a sua boca e de brados de alegria os seus lábios. Jó 8:21, NVI
Dona Matilde tricotava na sala de casa e, olhando ao redor, pensava sobre como o mundo havia mudado nos últimos anos. No centro da sala, a neti-nhã estava diante de uma TV imensa, rindo, batendo palmas e rodopiando ao som de um programa musical. Mais ao fundo, o neto adolescente gargalhava na frente de um notebook, e a vovó achou que ele devia estar assistindo a algo realmente muito engraçado, de tanto que ria.
Estirada no sofá ao lado, a neta mais velha colocava os dedos na tela de um pequeno aparelho, sorria e chacoalhava a cabeça, positiva ou negativamente. "Do que ela tanto ri para essa coisinha nas mãos dela?" pensou a idosa mulher.
- No meu tempo não havia essas coisas - disse a avó sem tirar os olhos do tricô. Os três netos olharam surpresos para ela. Dona Matilde continuou:
- Nós ríamos uns com os outros, contando histórias e engraçadas. Não tí­nhamos essas caixas de riso.
Não sou idoso como dona Matilde; porém, na minha adolescência, também não tínhamos as tais "caixas de riso" como celulares, tablets ou notebooks. Nós nos divertíamos entre amigos, rindo muito do que um ou outro contava.
Pense nas seguintes questões: Onde você estava quando deu sua última gar­galhada? Sua última longa conversa com alguém foi por meio de algum aparelho eletrônico? Você prefere ficar procurando memes e vídeos engraçados na inter­net ou ouvir colegas e familiares contando histórias interessantes?
A internet pode ajudar em muitos aspectos, mas tem prejudicado consideravelmente o relacionamento entre as pessoas. Temos, às vezes, perdido o contato com quem amamos - ou com quem podemos amar - de verdade.
O poeta Diego Saldanha compôs os seguintes versos de uma música can­tada por Pedro Mariano: "Eu espero que você não esqueça que eu te contava histórias que valiam risos e memórias tão sinceras." Sentar em família ou entre amigos, compartilhando histórias, geralmente resulta em risos e memórias que ficarão para sempre.
Saia da caixa de risos. Pare por um momento de sorrir sozinho na frente de uma tela de vidro e desfrute a companhia real das pessoas ao redor. Sorrir com elas é infinitamente melhor!

Erros
Esquecerás os meus pecados e apagarás os meus erros. Jó 14:17
Camila era extremamente autoconfiante. Líder nata e com uma capacidade sem igual, ela administrava uma empresa multinacional, impulsionando as vendas a resultados nunca vistos antes. Por dez anos, ela esteve à frente da companhia, alcançando lucros expressivos para todos os acionistas, além dos avanços para a marca que representava.
Certa ocasião, em uma sala situada no topo de um grande arranha-céu, Camila dirigia uma reunião de sócios, decidindo o próximo passo que toma­riam para que suas ações e empreendimentos tivessem ainda mais valor. Ela defendia uma negociação que, de acordo com suas previsões, traria ganhos jamais imaginados.
Todos acataram sua opinião e aceitaram a proposta. De forma surpreendente, esse contrato resultou em uma perda financeira que quase faliu a multinacional. Foi o primeiro erro de Camila e, como consequência, ela foi demitida.
A partir desse fato, a notável executiva nunca mais voltou a um cargo de diretoria, pois ninguém confiava naquela que, um dia, fora responsável por uma grande crise na empresa em que trabalhava. Ninguém se importaria com as nu­merosas vezes em que havia acertado, mas sempre se lembrariam de seu erro.
Já notou que você pode ser bem-sucedido várias vezes, e ninguém lhe diz nada? Agora, experimente errar apenas uma e, provavelmente, irão condená-lo por um bom tempo. Parece até que ninguém vê quando acertamos; porém, quando erramos, ninguém se esquece.
Felizmente, Deus não é assim. Quando você peca e pede perdão, Ele joga suas transgressões nas profundezas do mar (Miqueias 7:19). Isso significa que o Senhor não tem prazer em ficar rememorando seus erros ou evitando lhe dar novas oportunidades. Não há condenação para pecados perdoados; e, quando você se apresentar diante dEle no dia do juízo, Deus não fará você se lembrar de suas faltas.
Você tem pecados? Confesse-os ao Senhor. Ele o perdoará e renovará Suas grandes promessas para você.

No chão
Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é correio: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade, 1 João 1:9
Meu mundo literalmente virou de cabeça para baixo quando capotei aquele carro. Era noite e havia acabado de chover. Eu trafegava por uma estrada de terra enlameada e, quando cheguei a um trecho de asfalto, tomei uma decisão nada inteligente: "Vou acelerar o carro para limpar os pneus!"
De fato, acelerei. Com uma velocidade considerável, o carro voou em um de­clive de uma das principais avenidas da minha pequena cidade. Quando acionei o freio, não senti nenhum atrito. Ao contrário, parecia que eu avançava ainda mais rápido. Em desespero, apertei a embreagem e o freio com toda força, e esse foi meu maior erro!
O veículo deslizou na pista molhada, e bateu lateralmente em uma lombada. O impacto, somado à velocidade, fez com que se iniciasse a capotagem. Naquele momento, eu já não tinha mais nenhum controle enquanto girava para todos os lados, ouvindo sons de lataria batendo e se arrastando. Não sei quantas voltas o veículo deu naquela hora, mas pareciam intermináveis. Ele começou a deslizar de lado, o que me jogou sobre a janela do motorista. Foi então que o vidro se rompeu, e meu braço esfolou no asfalto. Por proteção e graça divinas, não fui levado para debaixo do carro.
No fim da capotagem, eu estava bem machucado. Saí por uma das janelas quebradas e olhei para a rua vazia. Em minha mente havia um único pensamento: "Quero meu pai!" Corri por algumas quadras, ensanguentado, até chegar onde ele estava. Quando meu pai me viu, veio ao meu socorro. Ele não queria saber do veículo naquele momento, apenas cuidou de mim.
Há situações em que acontece o mesmo em nossa vida espiritual. Viramos de cabeça para baixo, somos chacoalhados pelo pecado e jogados ao chão. Caídos, não é fácil levantar com o peso, a dor, as manchas e a culpa do pecado.
Entretanto, se um dia esse momento chegar a sua vida, permita que um úni­co pensamento tome conta do seu coração: "Quero meu Pai!" Você saberá onde encontrá-Lo. Deus o abraçará, cuidará de seus ferimentos, perdoará seus erros e o limpará de toda maldade.

Sonhando alto
Aí o povo começou a reclamar contra Moisés, mas Calebe os fez calar e disse: - Vamos atacar agora e conquistar a terra deles; nós somos fortes e vamos conseguir isso! Números 13:30
O povo de Israel foi liberto de forma milagrosa da escravidão do Egito. Eles atravessaram a pé o Mar Vermelho, foram alimentados pelo maná, rece­beram as tábuas dos Dez Mandamentos, construíram o santuário e viram a manifestação gloriosa do Senhor.
Quando chegaram à fronteira da Terra Prometida, Moisés escolheu doze es­pias para trazer informações sobre o local que iriam conquistar. Ao retornar da missão, que durou quarenta dias, eles voltaram dizendo que a terra era muito boa, mas seria impossível conquistá-la, pois seus habitantes eram fortes e havia descen­dentes de gigantes. Além disso, as cidades eram grandes e cercadas por muralhas.
Após o relatório pessimista, o povo começou a reclamar. Calebe, que era um dos doze espiões, levantou-se e disse:
- Vamos atacar agora. Somos fortes e podemos vencer!
Ele tinha uma visão otimista, pois sabia que ao lado do povo de Israel esta­va o Senhor dos Exércitos. Calebe sabia que antes da conquista vem a crença na vitória.
O escritor francês Anatole France publicou a seguinte frase: "Para realizar grandes conquistas, devemos não apenas agir, mas também sonhar; não ape­nas planejar, mas também acreditar." Quantas vezes você desistiu por achar que o desafio seria invencível? Quantas vezes não quis estudar por achar que a matéria era muito difícil? Quantas vezes abriu uma prova e pensou: "Vou tirar zero?"
Não desanime diante das batalhas, pois o cristão deve agir sempre tendo como base o poder de Deus. Ouse sonhar alto e acreditar na vitória, porque você não está lutando sozinho. Não é apenas uma questão de pensamento positivo, mas de viver de maneira otimista, com a certeza de que o Todo-Poderoso está ao seu lado e lhe concederá vitória. Por isso, vá em frente e sonhe alto!

Indiferença que machuca
Ninguém o acusa das maldades que comete; ninguém o faz pagar pelos seus atos. Jó 21:31
Os óculos de ítalo voltaram para suas mãos cheios de saliva. Três garotos eram responsáveis por tornarem seus recreios um momento angustiante. A vida na escola não era nada fácil com aquele trio agressivo que o perseguia constantemente. Roubavam-lhe o dinheiro, jogavam sujeira dentro de sua bolsa, arrancavam-lhe os óculos, grudavam chicletes em seus cabelos, entre outras maldades.
Ítalo suportava silenciosamente a cada insulto, provocação e violência. Era pequeno e sem amigos, pois ninguém na escola se aproximava dele. Alguns co­legas tinham medo de também se tornarem vítimas dos três valentões que o perseguiam. Ele, por sua vez, tinha medo de contar para os pais ou para algum responsável da escola, pois lhe prometeram uma surra, caso os denunciasse.
Naquela manhã, ítalo pegou os óculos sujos e foi ao banheiro lavá-los; pois, sem eles, não conseguia enxergar nada no quadro.
- Não sei como você suporta - disse o menino ao lado, diante da pia.
- Sabe o que é mais difícil de suportar? - ítalo perguntou esfregando as lentes. - A indiferença de todos os que vêem o que acontece comigo e não fazem nada. Ninguém me ajuda ou chama um adulto para tomar alguma providência. O que mais dói não é somente a minha falta de força, mas a falta de coragem de todos os alunos da escola.
"O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que per­mitem a maldade." Essa grande verdade foi dita pelo cientista Albert Einstein e nos faz refletir sobre o quanto toleramos a malvadeza ao redor. Damos desculpas como: "Não quero me envolver. Não é problema meu. Tenho medo de que al­guém saiba que eu contei." Isso é covardia, e a sociedade sofre, pois a perversidade se espalha onde é tolerada.
Todos querem viver num mundo melhor, mas poucos querem se esforçar para melhorá-lo. Esforçar-se é não consentir que a perversidade faça parte do seu grupo de amigos, sua sala, escola, bairro ou família.
Quando você sofrer alguma violência, conte para um adulto responsável. Ao presenciar um ato perverso, busque ajuda, corra e conte para o professor ou ou­tra pessoa mais velha que possa resolver o problema. Jamais tolere a maldade. Procure ajuda para aqueles que sofrem com injustiças.

Arriscando a vida
Mas Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado. Romanos 5:8
Línguas de fogo lamberam o braço e o rosto de Mário, chamuscando-lhe o cabelo. A madeira da casa estalava com as labaredas subindo e se es­palhando. O corredor se parecia com a garganta de um dragão mitológico, inundado em chamas.
Misturado com som do incêndio, Mário ouvia um choro de criança.
- Papai está chegando, filha! - Ele gritou. Por um breve momento, olhou para o incêndio à sua frente. A morte era quase certa, e as chances de salvar sua filha de 4 anos eram remotas.
O coração acelerou quando ele mergulhou no corredor de fogo, soprando as chamas com um pequeno extintor nas mãos até chegar ao quarto de sua meni­na. Colocou-a no colo, enrolou-a no cobertor molhado que estava em suas costas e disse-lhe baixinho:
-  Calma. Nós vamos sair daqui.
Subitamente, jogou uma cadeira através da janela que queimava e saiu por ela. Quando conseguiu alcançar o jardim, entregou a filha nos braços da es­posa e caiu ao chão. Mário estava muito ferido, com queimaduras em diversos lugares do corpo e vários cortes nas mãos, pernas e braços, provocados pelos estilhaços de vidro da janela. Foram necessárias várias semanas até que ele estivesse curado das feridas e se desintoxicado da fumaça. Quando lhe per­guntaram como foi capaz de um ato tão heróico, Mário respondeu:
-  Era minha filha! Eu faria de novo. Se fosse preciso, eu morreria por ela. Martin Luther King disse que "se um homem não descobrir nada pelo qual morrer, não está pronto para viver".
Você tem um Deus que morreu para salvá-lo do fogo da destruição. Ele é o seu herói. No entanto, é preciso perguntar se você, assim como os incontáveis mártires, estaria disposto a sacrificar-se por Ele. Você tem coragem de ser um herói da fé, espalhando a mensagem do Senhor e proclamando suas crenças sem medo? Você professa sua religião sem receio de que o julguem ou discriminem?
A mensagem do evangelho não avança com mais poder em razão da nossa comodidade e medo de enfrentarmos os grandes desafios à nossa frente. Em­punhe sua espada, a Bíblia, e esteja disposto a expandir o reino do Senhor na guerra contra o mal. No fim, receberemos o prêmio por nossa fé e coragem: a coroa da vida.

Chatos e admiráveis
Queridos amigos, amemos uns aos outros porque o amor vem de Deus. Quem ama é filho de Deus e conhece a Deus. 1 João:4:7
Com a extremidade do lápis, Alan cutucou as costas do colega de sala:
- Tem borracha para emprestar?
Tiago fez cara feia. Virou-se, pegou a borracha e entregou ao amigo. Alan o incomodava o tempo inteiro com aqueles cutucões. Cada hora pedia algo em­prestado: folha em branco, caneta, apontador, chiclete, bala e até dinheiro para o lanche. O único item que não pedia era o lápis, mas Tiago suspeitava que Alan o trouxesse apenas para espetá-lo.
- "Cara", você tem que parar com isso - Tiago reclamou - Minhas costas já estão machucadas.
Alan entendeu o recado. Viu que estava sendo irritante e parou. No outro dia, foi Tiago quem puxou assunto:
- Não precisa de nada hoje?
- Todo dia preciso. Você sabe... - Alan sorriu.
- Eu lhe trouxe um presente - Tiago mostrou um lápis cuja extremidade tinha uma borracha. - Veja se não me espeta usando a ponta!
Alan era daqueles amigos de verdade. Tinha muito em comum com Tiago, conversavam sobre todas as coisas, trocavam confidências e tinham o propósito comum de servir a Deus. Era daqueles amigos mais chegados que um irmão (Provérbios 18:24).
Nas palavras do poeta Mário Quintana: "Há duas espécies de chatos: os chatos propriamente ditos e os amigos, que são os nossos chatos prediletos".
Você deve ter um desses amigos que o incomodam de vez em quando, mas que não consegue viver sem ele. Aliás, você deve incomodá-lo também, ligando fora de hora, perguntando se "o celular tem crédito", ou se "a tia [mãe dele] não vai fazer um lanche" para vocês.
Esses amigos são insubstituíveis e ficam para sempre no coração. Se você tem um amigo assim, diga-lhe que ele é o seu "chato predileto"!

Asas sujas
Estou me afogando nos meus pecados; eles são uma carga pesada demais para mim. Salmo 38:4
No ano de 2010, uma plataforma de extração de petróleo situada no Golfo do México chamada Deepwater Horizon explodiu, afundando dois dias depois. O acidente lançou em torno de 3 a 4 milhões de barris de petróleo no oceano, deixando uma mancha negra de mais de 1.550 km2 de extensão.
Em 1991, no Golfo Pérsico, o ex-ditador Sadam Hussein mandou incen­diar cerca de 730 mil poços de petróleo do país vizinho, Kuwait. O ato causou um dos maiores desastres ambientais de que se tem notícia naquela região. Pro­vocou a poluição do ar, da terra e da água, prejudicando todo o ecossistema da área atingida.
Uma das imagens mais marcantes que guardo dessas notícias é da man­cha de óleo se espalhando e atingindo os pássaros. As penas ficavam coladas e eles mal conseguiam abrir o bico para se alimentar. Voar com as asas sujas era completamente impossível. Os ambientalistas se esforçavam ao máximo para salvá-los, socorrendo os sobreviventes e tentando limpar suas penas.
Este mundo também sofreu um desastre ecológico quando o pecado foi der­ramado nele. Ele devastou todo o ecossistema perfeito que Deus havia criado. A culpa atingiu a vida de todos os seres viventes e manchou o coração dos homens com sujeira.
Todavia, Deus enviou Seu Filho para fazer a limpeza. Jesus veio à Terra, nasceu como criança, exerceu Seu ministério libertador e, ao morrer na cruz, ofereceu Seu sangue para nos lavar de todos os nossos pecados. No dia da re­denção Ele dirá: "Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas" (Apocalipse 22: kl, ARA).
Assim como é impossível para uma ave voar com as asas sujas de óleo, uma pessoa não pode voar para o Céu com a vida revestida de pecado. É impossível andar com Deus e continuar carregando as transgressões. É impossível crescer espiritualmente arrastando delitos.
Você tem asas espirituais; e, para voar para bem perto de Deus, é preciso deixá-las limpas. Somente o sangue de Jesus é capaz de fazer isso. Confesse seus pecados, receba Seu perdão e viva a liberdade que Cristo lhe concede.


Inspiração Juvenil

Cada Dia uma Nova História
Denis Cruz
 

Comentários