Enxergando com os olhos da esperança

“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Filipenses 4:8).
Se você procurar o suficiente, por tempo suficiente, então encontrará algo do que reclamar.
Os seguidores de Moisés fizeram isso. Eles podiam ter se concentrado nos milagres: fogo que os acompanhava à noite e uma nuvem que os guiava de dia, maná brilhando ao nascer do sol e codornizes correndo pelo campo à noite. Em vez disso, eles se concentraram em seus problemas. Fizeram desenhos do Egito, sonharam com as pirâmides e reclamaram que a vida no deserto não era para eles. Encontraram algo do que reclamar.
E você? Para onde você está olhando? Para o maná ou para as desgraças? Para o plano de Deus ou para seus planos? Para um presente ou para um problema?
Quando vemos como Deus deseja que vejamos, vemos não o que é visto, mas o que não pode ser visto. Vemos com a fé e não com a carne, e, uma vez que a fé gera esperança, nós, entre todas as pessoas, ficamos cheios de esperança. Pois sabemos que existem mais coisas na vida do que aquilo que os olhos conseguem enxergar. (ML)



Amilton Menezes

Comentários