Da morte para a vida

Porque sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Jeremias 29:11, NVI
“Ai, não! Matei minha buganvília!” Já tive, antes, plantas que morreram, mas essa era especial. Minha mãe me havia dado uma muda de sua planta viçosa, e eu me lastimava por ver a minha tão raquítica. Durante anos ela produzira folhas verdes e saudáveis, mas agora estava perdendo folhas de modo alarmante. Quando eu sacudia os caules, quase todas as folhas acabavam indo parar no chão. Dentro de dias, tudo o que permaneceu foram ramos esguios, apontando para um lado e para outro, enquanto uma folha ou outra resistia tenazmente. A planta parecia tão triste!

Isso me fez pensar em minha vida. Havia sido plena – uma vida rica de família e amigos; tudo parecia bem com o mundo. Eu me sentia contente, feliz e em paz. Quão rapidamente mudaram as coisas! Tínhamos, recentemente, perdido nossa casa devido a uma falência, e meu esposo me deixara por causa de outra mulher. Assim como a minha buganvília, eu me sentia seca, feia, exposta e de pouco valor, mas procurava, tenazmente, resistir.

Por alguma razão, continuei regando minha planta. Embora parecesse qualquer coisa, menos viva, eu simplesmente não suportava a ideia de jogá-la fora. Ainda era preciosa para mim. Mal sabia eu o que aconteceria a seguir. Contei à minha mãe o que ocorria e ela sugeriu que eu fosse paciente e aguardasse a surpresa.

Para meu grande deleite, descobri brotos na planta. Acordei, certa manhã, e encontrei uma linda flor em tom vermelho escuro sobre um ramo despido. Era fina como papel, e tão translúcida que se podia quase ler através das pétalas. Dentro de uma semana, a planta estava coberta de flores, e as folhas começaram a voltar, mais densas e cheias do que antes. Uma vez mais, Deus me mostrava visualmente Seu amor. Como desejei morrer durante aquele período doloroso! (De fato, cheguei a pensar que estava morrendo.) Mas Deus tinha planos diferentes para a minha vida – planos que, em comparação, deixavam pálida a minha vida anterior. Não, Ele não me descartou quando minha aparência era feia e eu me sentia sem valor para os outros. Ele me sustentou e apascentou com Seu amor e terno cuidado.

Hoje posso dizer que desabrochei e me transformei na mulher que Ele sempre quis que eu fosse. Louvado seja Deus! (Jill Rhynard in Meditação da Mulher)

Comentários