Deus na Natureza

Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o Seu eterno poder, como também a Sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis. Rom. 1:20.
Não vejo razão por que as opiniões de homens instruídos e os chamados grandes homens deveriam merecer confiança e exaltação. Aqueles que estão ligados ao infinito Deus são os únicos que fazem uso apropriado de seu conhecimento ou dos talentos a eles confiados pelo Criador onisciente. Nenhum homem pode distinguir-se em conhecimento e influência a menos que esteja unido ao Deus de sabedoria e poder.
A evidência real de um Deus vivente não é meramente uma teoria; está na convicção que Deus escreveu em nossos corações, iluminada e explicada por Suas palavras. É o poder vivo em Suas obras criadas vistas por um olho santificado. A preciosa fé inspirada por Deus concede força e nobreza de caráter. Os poderes naturais são ampliados por causa de santa obediência. Todas as filosofias da natureza humana em que Deus não tem sido reconhecido como tudo em todos têm levado à confusão e à vergonha. A vida que vivemos pela fé no Filho de Deus é uma série de triunfos nem sempre vista e compreendida pelas partes interessadas, mas com resultados alcançando o remoto futuro, onde veremos e conheceremos como somos conhecidos.
Os maiores intelectos do mundo, quando não iluminados pela Palavra de Deus, tornam-se desorientados e perdidos enquanto tentam pesquisar as questões de ciência e revelação. O Criador e Suas obras estão além da compreensão finita, e os homens concluem que por não poderem explicar as obras e métodos de Deus por causas naturais, a história bíblica não merece confiança. Muitos estão tão ativos em excluir a Deus do exercício da vontade e poder soberanos no estabelecimento da ordem do Universo, que rebaixam o homem, a mais nobre de Suas criaturas. As teorias e especulações filosóficas querem nos fazer crer que o homem veio de estágios graduais, não meramente de um estado selvagem, mas das formas mais inferiores da criação bruta. Destroem a dignidade do homem porque não admitem o poder miraculoso de Deus.
Deus iluminou o intelecto humano, e derramou um dilúvio de luz sobre o mundo mediante descobertas na arte e ciência. Mas aqueles que consideram isto sob um mero ponto de vista humano, muito certamente chegam a conclusões erradas. Os espinhos do erro, ceticismo, e infidelidade são disfarçados pela cobertura com vestes de filosofia e ciência. Satanás planejou essa maneira engenhosa de atrair pessoas para longe do Deus vivente, longe da verdade e da religião. Ele exalta a natureza acima do Criador da natureza. Manuscrito 4, 1899.

Fonte: Olhando Para o Alto - MM. 22/05/1983

Comentários