24 de maio de 2015

PROVAÇÕES - Um Deus ao nosso lado


PROVAÇÕES 

O crisol prova a prata, e o forno, o ouro; mas aos corações prova o Senhor. Prov. 17:3.

Heleninha descansou”, a voz da minha esposa anunciando a notícia estava cheia de pesar. Eu conhecia bem a Heleninha. Uma das últimas vezes que me acompanhara em público foi no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, onde cantou para mais de quarenta mil pessoas. Cantava com o coração e com a vida, mais do que com a voz, embora tivesse uma voz muito bonita.

Conversei pela primeira vez com ela quando acabara de perder o esposo num trágico acidente, no mar. A família reunida, feliz, passava um dia na praia quando o esposo caiu de uma rocha. Foi levado por uma onda e ninguém pôde fazer nada para salvá-lo.

Tinham três filhos lindos. Heleninha depositou toda sua confiança em Deus e encarou o desafio de ser pai e mãe para os seus meninos. Pouco tempo depois, foi surpreendida por outra notícia triste. Os médicos lhe diagnosticaram câncer.

“Só quero ver os meus filhos crescerem”, me disse um dia, atrás do palco, enquanto nos preparávamos para apresentar a mensagem de Deus a uma multidão reunida no Palácio de Cristal, em Curitiba.

Três vezes esteve à beira da morte nos longos anos em que lutou heroicamente contra a adversidade. Mãe extraordinária, mulher de Deus, aguerrida, destemida, nunca deixou que o desânimo tomasse conta de seu coração. Sempre tinha uma palavra de ânimo para as pessoas. Cantou em meio à dor física. A última vez que me acompanhou, a vi sentada, cansada, mas disposta a entrar no palco. As últimas palavras que disse naquele dia me emocionaram: “Foi na dor e nas provações que o Senhor me fez crescer.”

Hoje, chegou ao fim sua provação. Descansou em Jesus. Fechou os olhos na bendita esperança de ver Jesus voltando e de cantar um cântico novo.

Esta é a mensagem de hoje. “O crisol prova a prata, e o forno, o ouro”; mas as provações da vida chegam para aperfeiçoar o caráter. Ninguém que conheceu Heleninha de perto jamais ouviu uma palavra de queixa. Viveu agradecida a Deus em meio à dor. Lutou, esperou e dedicou a voz a cantar louvores a Jesus até o último momento de sua vida.

Inspire-se no testemunho dessa mulher, e lembre-se: “O crisol prova a prata, e o forno, o ouro; mas aos corações prova o Senhor.” Prov. 17:3. (Pr. Alejandro Bullón)


Um Deus ao nosso lado 


“Eu Sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim.”  Apocalipse 22:13

Este é um dos mais majestosos títulos que Jesus usa de Si mesmo. Três vezes no Apocalipse Jesus usa esta expressão: “Eu Sou o Alfa e o Ômega”. Uma vez no primeiro capítulo (1:8), outra no penúltimo (21:6) e a terceira vez no último capítulo, não só do Apocalipse mas de toda a Bíblia (22:13). Parece querer dizer-nos que andemos com Ele do princípio ao fim de nossa vida!


Notemos que em duas das três vezes que Jesus relaciona essas palavras (…) com Sua Segunda vinda, mas o pensamento central e também precioso que Ele deseja ser o primeiro e o último em todos os propósitos de nossa vida. Alfa e Ômega, como sabemos, são as palavras usadas no alfabeto grego para designar respectivamente suas primeira e última letras.

Que pensamento para acariciarmos: Jesus é o primeiro! Foi o primeiro em tudo e em todos os tempos, segundo o propósito de Deus Pai. Ele foi antes dos grandes impérios; antes mesmo que existisse a Terra e por que não dizer, antes do nosso sistema solar, antes que Ele estabelecesse as estrelas e constelações no firmamento, antes de todo o Universo vir à existência!

Mas, Ele é o Último, também, e o Fim de tudo e de todas as coisas. Por Ele tudo subsiste e para Ele tudo será renovado e reabilitado! Que abençoada segurança sabermos e crermos que Jesus é nosso Salvador e que uma eterna felicidade nos será concedida por Ele no final de todo o pecado. Como podemos entender tudo isso?

É que Jesus não teve início e não terá fim! Ele é eterno. Portanto, Jesus Cristo, como o nosso Alga e o nosso Ômega é também a nossa fonte de Água viva, inspirando-nos em todos os anelos da vida; é o nosso Início e o nosso Fim, pois esteve conosco ao nascermos e estará ao morrermos ou na Sua volta, sempre nos trazendo a esperança de que assim como Ele era, há de vir como Todo-Poderoso. E tudo isso é de graça, porque um Pai extremoso nos tem amado e quer nos salvar. Nada está perdido, pois o Cristo que foi ontem, é hoje o mesmo Cristo e o será para sempre. (Hebreus 13:8)

É confortante sabermos que Jesus nos amou antes de O conhecermos, continua nos amando e quer nos amar até o fim. Amemo-lo também. Conversemos de amor com Ele enquanto andamos juntos!

Amiltom Menezes

 


 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário