28 de julho de 2015

O DEUS QUE EU CONHEÇO

Pensamento: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará.” Salmo 37:5

Ilustração:
            Conta-se que um monge dos tempos antigos disse: -“Preciso de azeite”. Sentindo esta necessidade, ele plantou uma muda de oliveira. Em seguida orou: -“Senhor, esta muda precisa de chuva, afim de que suas raízes possam nutrir-se e desenvolver-se. Envia chuvas brandas.” O Senhor atendeu sua prece e caíram chuvas suaves sobre aquela plantinha.
            -“Senhor,” tornou a orar o monge, “a minha oliveira necessita de sol.”. E o sol resplandeceu, dourando as nuvens gotejantes.
            Novamente o monge percebeu que sua plantinha precisava ser fortalecida e orou: -“Agora, Senhor, manda um pouco de granizo, a fim de fortalecer os seus tecidos.”  O granizo veio, cobrindo a oliveira de cor trigueira. Mas a oliveira não resistiu e morreu.
            O monge foi até os aposentos de um dos irmãos da comunidade e contou sua experiência negativa. Este, então, lhe contou o seguinte:
            -“Eu também plantei uma oliveira, que se desenvolveu admiravelmente. Eu a confiei a Deus, e Aquele que a fez sabia melhor do que eu o que ela necessitava. Não estabeleci condições, formas ou maneiras. Limitei-me a suplicar: -“senhor, manda-lhe o que ela necessita. Sol ou chuva, vento ou granizo. Tu a fizeste, e Tu sabes o que lhe convém.”
            Prezado amigo, você já percebeu como nós seres humanos temos a tendência de pensarmos que sabemos exatamente aquilo de que mais necessitamos? E por causa dessa nossa auto-suficiência, tendemos a crer que na vida espiritual também podemos definir exatamente o que é o melhor pra nós.
            Quantas vezes temos ouvido os jovens orando e insistindo com Deus que desejam casar-se com Roberta ou com Fernando e que não pode ser ninguém outro, senão aquele ou aquela que eles elegeram em seus corações. Mas o pior é que se algo de ruim acontece, se os seus sonhos se frustram, culpam a Deus por não ter evitado a dificuldade ou o problema criado pôr eles mesmos.
            Quantas pessoas se indispõem com Deus quando planejam uma mudança, um novo emprego, a chegada de mais um filho, etc., questionando que Deus não podia ou então  deveria ter seguido exatamente o plano por eles estabelecido. Porém os planos de Deus sempre são os melhores para nós.
            No salmo 139:16, lemos: “Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia.”
            Este texto me diz que o Senhor sabe tudo sobre mim. Por isto somente Ele é capaz de prever o futuro. Somente Ele pode dizer que caminho, qual o rumo devemos seguir para finalmente chegarmos ao lar.
            Na história dos monges, ambos queriam que suas oliveiras crescessem e dessem frutos, esse deveria ser o futuro de suas plantinhas. Porém, um queria determinar a Deus como deveria cuidar de sua plantinha para que esta chegasse a ser oliveira. Quanta presunção!
            Nós muitas vezes temos agido de maneira semelhante, dizendo a Deus exatamente o que queremos que nos aconteça. “Mas pretender que a oração seja sempre atendida exatamente do modo e no sentido particular que desejamos, é presunção. Deus é muito sábio para errar, e bom demais para reter qualquer benefício dos que andam sinceramente.” CC, 82
            Saulo, por exemplo, nasceu em um lar judeu. Foi educado pelo mais culto e sábio professor de seus dias, Gamaliel, e tornou-se muito mais sábio que seu Mestre. Saulo tinha um alvo: a salvação. Mas para atingi-la, Saulo cria que deveria matar, exterminar os cristão. Então um dia, Jesus apareceu-lhe na estrada de damasco e disse-lhe: -“Saulo, Saulo, por que me persegues?” (Atos 9:4). E, à partir deste momento, Deus mudou os planos de Saulo, e assim de perseguidor, Paulo passou a ser um perseguido.
            Paulo poderia ter questionado a sabedoria divina. Paulo poderia ter dito: -“Não assim, Senhor.” Porém o apóstolo aceitou o plano divino, mesmo sem compreende-lo plenamente.
            Paulo tinha um problema de saúde, ao qual ele chama de ‘espinho na carne’ e em II Coríntios 12:8-9, o apóstolo diz: “acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.”
            Paulo descobriu que o plano de Deus era o melhor para ele, mesmo não compreendendo como sua enfermidade poderia reverter em seu benefício próprio.
            Quando o idoso apóstolo se encontrava na prisão em Roma, finalmente compreendeu porque Deus o havia conduzido por aquele caminho, e assim se expressou: “porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a Sua vinda.” II Timóteo 4: 6-8
Prezado amigo, aprendamos como Paulo a aceitar e a confiar nos planos do Senhor.
Hoje Jesus nos diz: “Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.” Jer. 28:11
Esse verso nos diz que Deus nos dará aquilo que mais desejamos: a vida eterna, mesmo que o caminho que nos leve a este final glorioso, não seja exatamente aquele que desejamos hoje.
“Se pudéssemos ver o fim desde o princípio, escolheríamos exatamente o caminho pelo qual o Senhor nos tem guiado.”
Creia em Jesus e aceite ser conduzido por Ele!

           
Sõnia M. Rigoli Santos – MM -MOSR

Nenhum comentário:

Postar um comentário