A importância das coisas pequenas

“E se alguém der mesmo que seja apenas um copo de água fria a um destes pequeninos, [...] não perderá a sua recompensa” (Mateus 10:42).
Algum tempo atrás, o jornal San Francisco Post publicou a história do contador de uma empresa de comércio atacadista daquela cidade que durante três semanas tentou fechar o balanço da firma e não conseguiu descobrir por que faltavam 900 dólares. Depois de várias tentativas, pediu ajuda ao gerente e, juntos, examinaram os livros – mas lá permaneciam os 900 dólares de débito. A quantia registrada deveria ser de 1.000 dólares e não 1.900.
Depois de minucioso exame, eles descobriram que uma mosca tinha sido prensada entre as páginas do livro e uma de suas pernas acabou transformando o primeiro zero de 1.000 em 9, passando assim de 1.000 para 1.900. Não diga, então, que as coisas pequenas não são importantes!
Em Seu ministério, Jesus salientou a importância das coisas pequenas. Na multiplicação dos pães, a matéria-prima do garoto eram apenas cinco pães e dois peixes, e, mesmo assim, Ele alimentou a milhares. Para valorizar o que era pequeno, depois do milagre, Jesus pediu que as sobras fossem recolhidas. Ele falou dos pequenos pássaros: “Não se vendem cinco pardais por duas moedinhas? Contudo, nenhum deles é esquecido por Deus” (Lc 12:6). E prosseguiu: “Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados” (v. 7). Em Suas parábolas, Jesus também deu ênfase às pequenas coisas. Na parábola do grão de mostarda (Mt 13:31, 32), Ele conta como a menor das sementes pode ser uma representação do crescimento do reino de Deus. Falou também do fermento e sua atuação silenciosa, espalhando-se por toda a massa.
Por que não podemos pensar nas pequenas mudanças, em lugar de mudanças radicais? Por que não apreciar não apenas as grandes bênçãos, mas também as pequenas bênçãos? Por que não colocar em nosso dia a dia pequenos gestos espontâneos de bondade?
Um autor desconhecido escreveu o seguinte: “Davi tinha uma funda, Sansão uma queixada de jumento (que não é tão pequena), Raabe uma corda, Maria um perfume, Arão um bordão, Dorcas uma agulha. Todos foram usados por Deus.”
“A vida não se compõe de grandes sacrifícios e maravilhosas realizações, mas de pequenas coisas. Bondade, amor e cortesia são as características do cristão” (Ellen G. White, Este Dia com Deus [MM 1980], p. 142).
Coisas pequenas podem fazer grande diferença no fim do dia.

José Maria Barbosa Silva

Comentários