O amor faz diferença

“Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama” (Lucas 7:47).
Podemos substituir a palavra perdoado por aceito e manter a integridade da passagem: “Aquele que é pouco aceito, pouco ama”. Se acharmos que Deus é duro e injusto, adivinhe como trataremos as pessoas? Com dureza e injustiça. Mas se descobrirmos que Deus nos ensopou de amor incondicional, isso faria diferença?
O apóstolo Paulo diria que sim” Isso é falar de uma mudança. Ele passou de valentão a urso de pelúcia. Paulo a.C. (antes de Cristo) crispava-se de ódio. Ele “devastava a igreja” (At 8:3). Paulo A.D. (após a Descoberta) transbordava de amor.
Seus acusadores o espancaram, apedrejaram, prenderam, zombaram dele. Mas você consegue encontrar uma ocasião na qual ele tenha pago com a mesma moeda? Alguma crise de nervos? Uma explosão de ódio? Este é um homem diferente. Sua ira se foi. Sua paixão é forte. Sua devoção é inquestionável. Mas fortes explosões de raiva? Coisa do passado.
O que fez a diferença? Ele encontrou a Cristo. Ou, para usar uma frase dele, ele foi escondido em Cristo: “Agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus” (Cl 3:3). (ML)
Podemos orar? “Pai celestial, sou tão feliz porque Tu não chamas os qualificados, mas qualificas aqueles que são chamados. Não preciso ser especialista ou perito para ser usado por Ti. Tu simplesmente escolhes aqueles que Te seguirão. Tu não exiges diplomas, dinheiro ou dignidade. Tu simplesmente pedes dedicação. Em nome de Jesus, amém!”

Amilton Menezes

Comentários