O Caminho Para a Amizade

"A morte e a vida estão no poder da língua" (Provérbios 18:21).

Imagine por um momento que a amizade seja uma rua de mão dupla. Eu quero desfrutar sua amizade. Você quer ser meu amigo também. Nós dois começamos a andar por essa rua chamada amizade, esperando encontrar-nos, mas em certo ponto ela está bloqueada. Tentamos comunicar-nos, mas damos meia-volta desapontados. 


Você já viveu essa experiência frustrante? Já tentou fazer amizade, só para enfrentar um bloqueio? Já tentou conversar com um amigo, só para descobrir que a conversa para de repente porque ele tem coisas diferentes a fazer? Susana tinha esse problema sempre que tentava ser amiga de Tânia. Minutos depois de se encontrarem, Tânia começava a criticar o penteado de Susana ou a roupa que ela vestia. - Não fica bem para você. Deve usá-lo para trás, assim. Deixe-me mostrar.


Ou então ela ria e comentava: - Onde foi que você arranjou esse suéter? Parece ter saído da arca de Noé! - Sei porque você está dizendo isso - respondia Susana. - Está só querendo me irritar. Está com ciúme porque MIguel conversou comigo no piquenique.


E Tânia recomeçava: - Você é paranóica! Não é de se admirar que não tenha amigos!


Algumas vezes Tânia assumia um ar autoritário: "Pare de tocar essa música horrível! Você sabe que não a suporto!"


Um dia Susana estava desanimada e tentava dizer a Tânia o que sentia. Tânia riu e disse: "Ei, Susana, corta essa! Você não deve permitir-se chegar a esse ponto. Afinal, a situação não é tão ruim como você pensa. Divirta-se e deixe suas preocupações para lá. Amanhã você vai se sentir melhor". Algumas vezes Susana sorria e deixava passar. Outras vezes, ficava tão zangada que dizia: "Cale a boca!" e saía. Susana estava enfrentando bloqueios em seu relacionamento com Tânia.


Bloqueios são expressões que usamos para comunicar falta de aceitação. Há quatro tipos básicos de bloqueio: (1) julgar; (2) apresentar soluções; (3) ignorar as preocupações da outra pessoa, e (4) expressar expectativas injustas. Neste mês, aprenderemos a evitar o uso desses quatro bloqueios.


Formamos bloqueios com as palavras que dizemos. A língua tem poder para dar vida ou causar a morte de uma amizade. 


(Dorothy Eaton Watts. In: Inspiração Juvenil 2012: amigo é pra essas coisas. Tatuí: CPB, 2012. Texto digitado por Reginaldo Santos e publicado no grupo Boas Novas).

Comentários