O Sacrifício de Sundar



Se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá. Salmo 27:10

Sundar Singh, de 15 anos de idade, 
observava enquanto seu tio girava o segredo e abria o cofre. Segurou o fôlego ao ver o monte de joias e moedas de ouro – a fortuna da família.

– Um dia, tudo será seu – disse o tio. – Mas você precisa desistir dessa ideia tola de tornar-se cristão. Nossa família tem orgulho da religião Sikh. Queremos que você conserve a honra da família. Por favor, não traga desgraça sobre nossa família, batizando-se como cristão.

Sundar balançou a cabeça com tristeza.

– Sinto muito magoá-lo, tio. Não desejo desgraçar minha família, mas mesmo que o senhor me oferecesse o mundo todo, eu não poderia dar as costas a Jesus, que morreu por mim.

O tio bateu a porta do cofre, fechando-o.

– Você vai sentir muito, sim!

Pouco depois disso, o pai dele preparou um banquete para a família.

– É para a despedida – disse o pai tristemente. – Estou deserdando você como filho. Não tenho mais nada a ver com você.

Algumas horas mais tarde, Sundar começou a sentir-se estranho. Foi para a casa de amigos cristãos, onde desmaiou.

– Meu pai me expulsou de casa, e estou muito doente. Acho que alguém colocou veneno na minha comida.

A vida de Sundar foi salva naquela noite com a ajuda de seus amigos cristãos e, por ocasião de seu décimo sexto aniversário, foi batizado em Simla, uma cidade ao pé da cordilheira do Himalaia.

Durante os 25 anos seguintes, Sundar Singh andou por toda a Índia, contando acerca de seu amigo Jesus Cristo a todos os que quisessem ouvir.

Nem uma única vez o novo Amigo de Sundar o desamparou. A história de sua vida está cheia de exemplos incríveis de livramento, como o de um leopardo, de ser costurado dentro de um couro de animal e deixado para morrer lá dentro enquanto o couro secava, de ser amarrado com tiras cheias de escorpiões e sanguessugas, além de ter sido amarrado a uma árvore para ser comido por animais selvagens.


Escolhendo Amigos

Por vezes, até mesmo nossos pais nos desapontam, mas quando isso acontece, podemos volver-nos ao Pai celestial, que nos tomará sob Suas asas. (Inspiração Juvenil)


Sadhu Sundar Singh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Procurar imagens disponíveis
Sadhu no sopé do Himalaia em 1929.

Biografia

Em 3 de Setembro de 1889, Sundar Singh nasceu em Rampur, em uma região chamada de Patiala ao norte da Índia. Ele foi criado entre uma família rica. Como um Sikh, Sundar foi educado sobre os ensinamentos do hinduísmo e vivendo junto com seus pais em templos hindus. Aos sete anos de idade ele já havia memorizado o Bhagavad-Gita, as canções de pessoas felizes, que é um longo e intrigante verso contendo lições de vida.
Aos dezesseis anos, não só ele tinha dominado os Vedas, os livros sagrados do hinduísmo antigo, mas como também já havia lido o Alcorão, o livro sagrado do Islã. Ele, então, conheceu alguns sadhus onde lhe ensinaram o yoga. O sadhu é um hindu onde dedica toda a sua vida à sua religião e abandona todos os prazeres mundanos.
Conversão ao cristianismo
Sundar permaneceu solteiro e desempregado durante toda sua vida. Ele viajou por toda a Índia vestindo um roupão amarelo sem comida e sem qualquer residência permanente. Ele viveu somente da caridade de outras pessoas.
Tendo se tornado um cristão, ele foi rejeitado pelo seu pai e condenado ao ostracismo por sua família. Em 16 de outubro de 1905, Sundar vestindo um manto amarelo, descalço como também sem aprovisionamentos, retomou sua vida perambulante de aldeia em aldeia, mas desta vez, seguiu os passos de Jesus. Sundar Singh a princípio opunha-se fortemente ao cristianismo. Certa vez rasgou uma Bíblia em público e a queimou. Um dia, acordou às três da manhã e orou pedindo que, se Deus existisse, ele se revelasse e lhe mostrasse o caminho da salvação. Se a oração não fosse respondida, Sundar Singh estava decidido a deitar-se sobre os trilhos e morrer sob as rodas do trem. Ele orou e aguardou, esperando ver qualquer divindade. Em vez disso, ele viu uma luz brilhando em seu quarto, provavelmente o próprio Cristo. A partir daquele momento, Sundar Singh se tornou uma nova pessoa. Tomado pela paixão de proclamar a mensagem de Cristo, adotou uma vida simples de um religioso indiano. Mais tarde a influência de seus escritos tocaram cristãos em várias partes do mundo. Ele pregou em Londres, Paris, Alemanha, Estados Unidos e Australia.[1] Em 1906, ele foi ao Tibet, pela primeira vez em sua vida. Esse país o atraiu, principalmente por causa da grande resistência contra o evangelismo.
  1. Sundar visitava o Tibet a cada verão. Em 1929, ele visitou o país novamente e nunca mais foi visto desde então. Sundar manifesta em sua vida o versículo escrito em Marcos 8:35 que diz: "Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, mas quem perder a vida para mim e para o Evangelho vai salvá-la."
William G. Johnsson, Meditações Matinais 2012, CPB,Tatuí, SP
 

Comentários