O Sorriso de Deus - Meditação da Mulher

O Jardinero Sábio
Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará. Salmo 37:5, ARA
Estávamos felizes, pois nos mudaríamos para um novo campo, uma casa nova, projetos novos... A casa era linda e, no jardim, havia uma roseira mal cuidada. Seus galhos arranhavam a todos que passavam perto; e, além disso, ela não tinha rosas. Meu marido e eu resolvemos podar os galhos secos. Para nossa surpresa, só restaram dois galhos bons. Até pensei que a roseira morreria por causa da falta de ramos e por estar muito frágil.
Com a correria do dia a dia, me esqueci da roseira. Então, após dois meses, tive uma surpresa maravilhosa! Ela estava com muitos galhos, cheios de folhas e muitas rosas vermelhas. Fiquei ali, olhando para aquelas belas rosas, e co­mecei a pensar em minha vida. Quantas vezes meu Pai celeste precisa podar os galhos secos da minha vida. Entretanto, eu não desejo ser podada, pois dói, machuca e sangra.
Todos passamos por momentos difíceis. Perdemos coisas, pessoas e tudo parece dar errado. Os sonhos e projetos acabam em nada, dando a impressão de que fomos esquecidos e que ninguém se importa com nossos dramas. Isso pa­rece ser verdade quando estamos vivenciando um momento amargo. Contudo, há um Deus amoroso, um jardineiro sábio, que está podando apenas os galhos secos, sem flores, que estão tirando a vitalidade da planta como um todo.
Parece difícil compreender, aceitar, mas é verdade. Depois dos dramas, das lutas, das tempestades, do sofrimento pelos quais passamos, se nossa confiança permanecer no bom Jardineiro, seremos mais que vencedoras. Reconheceremos que era disso mesmo que necessitávamos: ter galhos sendo retirados para dar espaço às grandes realizações que Deus planejou para nossa vida, para que as rosas perfumassem e colorissem o ambiente, dando vida e alegria. Poderemos compreender, sem nenhuma dúvida, que "graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as Suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a Sua fidelidade!" (Lamentações 3:22, 23).
Deus cuida de você e quer vê-la feliz. Confie nEle, deixando que Ele a car­regue, envolva-a em Seus braços amorosos e lhe dê a segurança e estabilidade emocional, espiritual e profissional planejada para você.
Comece este dia entregando-se à Sua guia e direção. Este Deus misericor­dioso, como jardineiro sábio e conhecedor do futuro, podará alguns galhos secos improdutivos bem como os espinhos que aranham as pessoas. Ele sabe o que fazer. Apenas sinta quanto cuidado e amor Ele tem por você.
Vera Lúcia Maciel Suci
Queda Livre
Entregue suas preocupações ao Senhor, e Ele o susterá; jamais permitirá que o justo venha a cair. Salmo 55:22
Certo dia, durante minha infância, simulei um salto de paraquedas, usando uma sacolinha de supermercado. Encaixei cada alça em um dos meus bracinhos, então subi no topo de uma escada de quatro degraus e pulei confiante de que aquela sacola plástica me faria flutuar pelo ar até pousar suavemente sobre o solo. Entretanto, ao contrário da minha imaginação infantil, fui direto ao chão.
Apesar de eu ter caído na grama do quintal de casa, que amorteceu minha queda, essa aventura me rendeu algumas lágrimas e machucados. Em minha vida, essa não foi a primeira e muito menos a última vez que caí. Lembro-me de outros arranhões que adquiri brincando, correndo, pulando, mesmo sendo uma criança comportada. Infelizmente, porém, não tem jeito, todos os dias estamos sujeitos a tropeçar. Pensando nisso, resolvi relembrá-la da história de alguém que, mesmo sendo adulto, também acabou parando no chão.
Seu nome era Saulo. Ele era o chefe de um grupo de pessoas que perse­guiam os seguidores de Jesus. Então, certo dia, enquanto se dirigia à cidade de Damasco, a fim de prender alguns cristãos, ele ouviu uma voz tão forte, que o fez cair por terra. "Cheios de temor e quase cegados pela intensidade da luz, os companheiros de Saulo ouviram a voz, mas a ninguém viram. Saulo, porém, compreendeu as palavras que foram faladas; e a ele claramente foi re­velado Aquele que falou, a saber, o Filho de Deus. [...] Os registros proféticos das Escrituras Sagradas abriram-se-lhe à compreensão. Viu que a rejeição de Jesus pelos judeus, Sua crucifixão, ressurreição e ascensão, tinham sido preditas pelos profetas e demonstravam ser Ele o Messias prometido" (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 115).
Ali, caído ao chão, Saulo teve um verdadeiro encontro com Deus. Ele não murmurou; no entanto, compreendeu que necessitava ser transformado e não hesitou em mudar completamente sua vida e seguir a Jesus.
As quedas nem sempre são ruins. Geralmente, podemos aprender com elas; afinal, quando estamos no chão, nos damos conta de nossas falhas e do quanto carecemos das mãos de Deus para nos levantar.
Que tal hoje ter um verdadeiro encontro com Deus? Ele quer Se revelar a você, sustentar sua vida e aliviar seu coração; afinal, "o Senhor ampara todos os que caem e levanta todos os que estão prostrados" (Salmo 145:14).
Flora Manzano Mascarenhas

Segura nas Mãos do Senhor
Não fosse a ajuda do Senhor, eu já estaria habitando no silêncio. Salmo 94:17
Nunca é tarde para começar de novo, e nada é tão bom que não possa ser melhorado. Foi a reflexão à qual me submeti após ter voado, capotado duas vezes, batido em um poste que lascara ao meio e ainda estar escrevendo este testemunho. No dia 18 de agosto de 2009, eu viajava de Primavera a Presidente Prudente para realizar exames médicos.
Fazia três semanas que chovia diariamente. Naquele dia não foi diferente. Ao entrar na rodovia, parei, orei, e segui viagem cantando hinos.
Naquele trecho há uma reserva florestal. De repente, enquanto eu cantava "Grande é o nosso Deus, e as obras que Ele faz" uma cotia saltou na frente do carro. Ao desviar, com o asfalto molhado, não senti mais o volante. O carro aquaplanou e capotou uma, duas, três vezes... Pronto, parou! Soltei o cinto e olhei para ver se tinha por onde sair. Nada! Ajoelhei-me sobre o vidro da porta do passageiro. "Senhor, ajude-me a abrir o vidro!" Virei a chave na ignição para abrir o vidro que estava acima da minha cabeça, e nada.
Foi então que ouvi uma voz: - Tem alguém aí?
Respondi: - Tem!
- Está sozinha? A senhora está bem?
- Sim, moço, só quero sair - foi a minha resposta.
- Fique calma que eu vou sentar em cima do carro porque ele está para tombar. A senhora bateu num poste que está para cair.
Depois de um tempo, consegui colocar a cabeça para fora. Em seguida, chegou outro carro. O moço desceu rápido o barranco e me retirou de sobre a lateral do carro.
Graças a Deus, mantive-me calma e ainda recolhi alguns pertences que caíram para fora do carro. Então acompanhei uma pessoa que me levou ao hospital de Teodoro Sampaio, a cidade mais próxima.
Quem viu o carro, imaginou que ninguém havia sobrevivido. Contudo, eu estava lá, para mostrar que Deus me segurou em Suas mãos. O lugar onde eu me encontrava no carro ficou intacto. Tive apenas algumas fraturas nas costelas.
Enquanto tomava medicamento por meio do soro, chegaram duas amigas advogadas que já haviam visto o carro. Elas ficaram impressionadas que eu estivesse bem. Mais uma vez, o anjo do Senhor acampou-se ao redor dos que O temem e os livrou (Salmo 34:7).
Jacira Borigato

Que Milagre!
O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; Ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não desanime! Deuteronômío 31:3
Anos atrás, meu pai queria fazer uma cirurgia de hérnia abdominal, que o incomodava quando caminhava. No entanto, ao consultar o cardiologista, ele foi impedido, pois, com o problema grave que tinha no coração, seria arriscado,
Dez anos se passaram, aquela hérnia piorou, surgiu mais uma do outro lado e meu pai procurou outro profissional, que o orientou a pedir autorização ao cardiologista que o assistia havia muitos anos. Com a autorização em mãos, foi marcada a cirurgia.
Minha mãe estava desesperada. Meus irmãos e eu estávamos bastante preocupados e apreensivos, pois sabíamos que o risco era grande.
Busquei auxílio em oração e Jesus me inspirou a confiar nEle, porque Ele tomaria conta do caso, iria na frente e resolveria tudo para nós, como prometido no texto de hoje. Esse verso foi um bálsamo. Telefonei para minha mãe, que mora em outra cidade, pedi que ela grifasse o texto em sua Bíblia, que o lesse e meditasse nele. Poderíamos ficar tranquilas, porque Aquele que dizia tais palavras nos amava muito e era fiel.
O dia da cirurgia chegou. Minha mãe me telefonou preocupada. Pedi que ela lesse aquele verso bíblico com meu pai, que o convidasse a se ajoelhar e o entregasse nas mãos de nosso grandioso Pai.
Esperamos para ver como Deus resolveria o caso. Meu pai acabou sendo dis­pensado da cirurgia. Quando estava na mesa cirúrgica, uma médica (penso que era um anjo) que passava resolveu entrar e perguntou para o enfermeiro sobre a cirurgia e o paciente. Conversou com o meu pai e soube que ele tomava cinco remédios diferentes todos os dias. Ela percebeu que o problema era sério e ligou o monitor, onde constatou que as batidas cardíacas estavam bem irregulares.
Nesse momento, chegou o médico. Quando foi informado da situação, disse:
- Alberto, vá para casa. Vá viver! Você passaria por essa cirurgia, provavel­mente teria uma parada cardíaca, e eu não saberia se cuidaria do corte ou se tentaria a ressuscitação.
Horas depois, com toda a família reunida, meu pai disse que, se os planos tivessem prosseguido, agora estaríamos participando de um velório em vez de estarmos juntos celebrando a vida. Então, minha mãe pediu que eu fizesse uma oração para agradecer o milagre. Deus realmente esteve à frente!
Marlene Cisneiros Christofoletti

Deus Conhece Todas as Nossas Necessidades
Não se vendem dois pardais por uma moedinha? Contudo, nenhum deles caí no chão sem o consentimento do Pai de vocês. Mateus 10:29
Nosso dinheiro andava escasso. Para piorar as coisas, um vazamento no apartamento acima do nosso forçou-nos a reformar o banheiro, resultando no dispêndio de mais dinheiro do nosso orçamento já apertado. A semana tinha sido muito difícil para minha família.
Naquela quinta-feira, como de costume, levantei-me às 5h30 para passar algum tempo com Deus, enquanto a casa ainda estava quieta. Abri o coração ao Senhor, colocando todos os momentos daquele dia em Suas mãos. Pedi-Lhe que assumisse o controle de todos os meus desafios e dificuldades. O texto que li naquela manhã foi 2 Coríntios 5:1, 2, que fala de nossa habitação celeste.
Naquela manhã, a caminho do meu segundo compromisso, notei que uma tira da minha sandália estava se soltando, e quando cheguei ao consultório médico percebi que a sandália não aguentaria até o fim do dia. Eu tinha compromissos em várias partes da cidade, por isso perguntei à secretária do consultório se podia usar o grampeador para prender a tira solta. Também orei silenciosamente, pedindo que Deus me ajudasse a resolver aquele problema, pois não teria tempo de voltar para casa e trocar de sandálias, e não tinha dinheiro suficiente para comprar um par novo. Mesmo assim, após o compromisso, decidi ir ao centro e tentar encontrar sandálias em liquidação.
Na rua principal, encontrei uma pequena loja de calçados. Comecei a olhar em volta, sem saber o que escolher, já que tinha pouco dinheiro e nenhum cartão de crédito ou cheques. Um vendedor se aproximou e ofereceu ajuda. Eu lhe disse que precisava de sandálias confortáveis que estivessem em liquidação. Ele pediu que eu escolhesse um par que me agradasse, exposto na prateleira. Escolhi um par que combinava com meu vestido, e ele me trouxe o tamanho certo.
Ao deixar para trás as sandálias rebentadas, e sair da loja com minhas novas sandálias de 10 reais, olhei para o céu e dei graças a Deus por ter cuidado de cada detalhe da minha vida. "O justo passa por muitas adversidades, mas o Senhor o livra de todas" (Salmo 34:19). Quando enfrentamos problemas, lembremo-nos de que nem mesmo uma folha - ou um pardal - cai de uma árvore sem o conhecimento de nosso Deus.
Dalva Rosa Silva

Minha Vida em Tuas Mãos
O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre. Salmo 73:26
Era o ano de 1989. Eu havia chegado do trabalho e meu esposo, que era pas­tor, voltara de uma longa viagem pelo distrito de 17 igrejas. Morávamos em Pimenta Bueno, RO.
Encontramos nossa filha de cinco meses doente e decidimos levá-la para receber atendimento médico em Cacual, a 45 quilómetros de distância de onde morávamos. Isso aconteceu no mês de agosto.
Faltando apenas 6 quilômetros para chegar ao nosso destino, meu marido, que estava exausto, cochilou ao volante e ao fazer uma curva bateu no meio-fio. Nosso carro então capotou. Fui lançada para fora, mas fiquei presa pelo pescoço ao cinto de segurança. Isso afetou uma cartilagem da traqueia, que poderia resultar na perda da fala. Fraturei também seriamente a coluna cervical, tive explosão de duas vértebras, correndo o risco de ficar tetraplégica.
Para honra e glória de Deus, não tive nenhuma dessas sequelas mais graves. No momento do acidente, meu esposo me socorreu. Ele era formado em enfermagem e, com a experiência que tinha, imobilizou meu pescoço usando a própria camisa como colar provisório. Nesse momento, ele percebeu que nossa filha também estava gravemente machucada. Ela teve afundamento de crânio e fratura no braço direito.
Um carro do Exército prestou socorro e nos conduziu ao hospital mais pró­ximo, onde fomos atendidos e encaminhados para Brasília. Lá fizemos todo o tratamento. Minha filha fez uma cirurgia para descompressão do osso e correu tudo bem. Hoje ela é uma moça perfeita.
Passei momentos difíceis em Brasília. Meu tratamento durou três meses até a total solidificação do osso. Depois, precisei usar o colar cervical por mais três meses. No entanto, pude voltar para casa andando e sentindo meu corpo. Agradeço todos os dias pelo milagre que Deus realizou em minha vida.
Hoje ainda sofro e tenho algumas limitações. Tenho cervicalgia crônica e faço tratamento para aliviar a dor, mas jamais atribuí a culpa do acidente a Deus ou ao meu marido, a quem amo muito e sempre se preocupou comigo. Vejo essa situação como um livramento, um verdadeiro milagre das mãos de Deus.
Espero que hoje você decida colocar também sua vida inteiramente nas mãos de Deus, pois nunca sabemos quando Ele virá para nós.
Maryza Paiva Dias

Herança Paterna
E os vossos ossos revigorarão como a erva tenra; então, o poder do Senhor será notório aos Seus servos. Isaías 66:14, ARA
É comum à criança querer imitar alguém especial, e comigo não foi diferente. Sempre admirei meu pai em tudo. Sou a primeira de quatro filhos e, a cada dia, sentia-me mais próxima dele, observando-lhe os passos firmes em sua ca­minhada com Cristo. Por isso, nunca estava cansada ao ser convidada, mesmo ainda pequena, para acompanhá-lo a cada sábado, logo após o almoço, a fim de nos juntarmos a um grupo para visitar as pessoas e falar-lhes do amor de Deus. Essas doces lembranças deixaram marcas que me acompanham até hoje.
Eu me sentia parecida com ele em muitos aspectos, porém, dentre essas se­melhanças, algo me fez sofrer até parte da fase adulta. Quando juvenil, passei por várias situações incômodas com colegas, ao descobrirem meu grande complexo: os pés. Eles estavam longe de ser delicados e bonitos. Assim, o tempo passou com essa dor, que complicava ainda mais, por ter que lidar com grandes e resistentes calos e indesejados joanetes.
Na época, nossa família não tinha condições nem conhecimento para resolver a situação. Porém, quando adulta, resolvi ir ao ortopedista para tratar de outro assunto. Mas, de repente, ele descobriu meu "amargo segredo", e, ignorando o assunto que me levara ao consultório, animou-me a planejar uma imediata cirurgia que eliminaria boa parte do problema. Isso era um sonho!
Poucas semanas depois, eu estava no hospital, pronta para deixar ali parte do que me afligia. No entanto, o médico já havia alertado desde o início que eu não operasse ambos os pés de uma só vez, por ser uma cirurgia dolorosa, com um longo e incômodo período de convalescença.
Meu pai já era falecido, mas, nesse momento, veio à minha mente sua habitual confiança em Deus. Decidi clamar ao Senhor para realizar apenas uma cirurgia e ter forças para suportar as dores. No entanto, uma inesquecível surpresa me aguardava: pouco antes de ir ao hospital, abri a Bíblia exatamente no verso que lemos no início e decidi confiar na fidelidade de Deus. Como é bom descansar em Suas promessas! Ele nunca falha!
Após os efeitos anestésicos da cirurgia, eu esperava a hora crucial. Foi aí que o milagre aconteceu: em momento algum, senti uma dor sequer e os complexos também sumiram, pois entendi que meus pés são um presente de Deus. Sim, Ele ainda realiza milagres para Sua glória! Se você passa por algo que lhe oprime o coração, não tema; o Senhor é o mesmo ontem, hoje e sempre. Agradeça e espere. Depois conte aos outros o que Ele fez e faz em sua vida!
"O Senhor precisa soprar sobre os ossos secos, para que vivam" (Ellen G. White, E Recebereis Poder, p. 45).
Izolina Lino dos Santos

Grata... Até Pelas Rugas
A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a, mulher que teme o Senhor será elogiada. Provérbios 31:30
Um amigo de longa data me disse, certa vez, que sou a "irmãzinha da grati­dão". Isso porque, sempre que possível, organizo cultos de gratidão. A cada cinco anos, gosto de realizar um Culto de Ação de Graças por nosso casamento e nossa família. Aprendi a ser grata com minha mãe, dona Carmelita, uma mulher determinada a conduzir seus filhos no caminho de Deus, e também com outras pessoas que me são caras. Aprendi que a gratidão é um dos sentimentos mais nobres, por isso tenho alegria em praticá-la.
Estou com 47 anos e tenho muito que agradecer. Agradeço até pelas rugas! Talvez você me pergunte como posso pensar assim, mas a verdade é que não podemos ignorá-las. Elas estão lá, bem na nossa cara. Não tem como esconder, por mais que existam artifícios (e esse é um mercado em ascensão).
O que elas significam para você? Velhice? Feiura? Desgaste? Para mim, elas significam felicidade! As do riso me são evidentes. Sinais óbvios da minha ale­gria, das bênçãos, do prazer de ter um Deus tão maravilhoso que me permite mostrar a todos que me olham o quanto Ele me faz bem. E as pessoas lindas que Ele colocou em minha vida? Ele me deu um lar feliz. O Davi, marido ma­ravilhoso; a Thalita e o Stephan, filhos que são nossa alegria constante, motivo de orgulho; familiares e amigos. Enfim, graças a Ele, essas pessoas maravilhosas me são verdadeiras jóias, dádivas dAquele que só nos dá coisas boas. Por isso, sinto tanta alegria e não tenho vergonha de expor minhas rugas da felicidade.
Alguns imprevistos acontecem, é verdade. Entretanto, nada encobre o bem, a felicidade, as bênçãos! Enfim, digo às rugas: sejam bem-vindas! Sinais claros de que continuo viva e que ainda tenho muito que viver, pois estou em meus melhores dias e ainda é só o começo!
Sou grata a Deus por me fazer tão feliz. Sugiro que você também enxergue em suas rugas o quadro do poder de Deus em sua vida. Elas não precisam ser algo negativo. Há beleza nelas.
Se você buscar refrigério sempre na Fonte da verdadeira beleza, receberá a essência que tornará seu rosto cada dia mais belo. Essa essência está à disposição de todos, e é de graça! Portanto, sorria muito hoje e exiba suas rugas da felicidade!
Eu a convido a testemunhar, a contar aos outros que teremos um mundo melhor, onde mostraremos em nosso rosto, de forma completa, a verdadeira beleza que provém de Jesus. Enquanto isso, viva feliz com suas rugas e aprenda a dar graças por tudo.
Iêda Maria Silva de Oliveira

Um Dia de Cada Vez
Entregue suas preocupações ao Senhor, e Ele o susterá; jamais permitirá que o justo venha a cair. Salmo 55:22
Quando se é colérico e melancólico simultaneamente, num grau bem superior aos outros temperamentos, é difícil viver cada dia seu próprio mal, pois nos tornamos muito exigentes, perfeccionistas e queremos tudo rápido demais. Por isso, ser paciente é um grande desafio a ser superado pelas pessoas com esses tipos de temperamento.
Paro para analisar como somos vulneráveis a essas e outras fraquezas e como imperam ainda nossos gostos e tendências. Criticamos o que mais nos desagrada em nossos pais e, quando menos nos apercebemos, lá estamos nós incidindo nas mesmas falhas ou hábitos.
Somos fruto da nossa criação e daquilo que nos deixamos ser quando mol­dados somente pela vontade humana. Contudo, no dia em que nos deparamos com a ideia e nos conscientizamos do quão dependentes somos de Deus, é que nossa vida pode mudar de rumo.
Várias experiências têm me mostrado que somente com Deus podemos su­perar barreiras, derrubar os muros por nós erigidos e ver nosso temperamento moldado por Ele.
Uma das primeiras lições foi o milagre de ter conseguido gerar um ser ímpar e especial, que é minha filha Náthalie. Em meio a um parto de risco e inúmeros pro­blemas familiares e profissionais, ela chegou perfeita, como um presente de Deus.
Outra, foi quando vítima de um sequestro relâmpago, no estacionamento da igreja em Carapicuíba, Deus poupou minha vida por meio de providências por nós jamais imaginadas.
Em outra ocasião, Deus poupou minha vida quando rolei numa escada, de costas, num forte de Santa Catarina. Por pouco minha filha também não caiu comigo. Tive somente fraturas no pulso direito e nos dentes da frente. Por ter sérios problemas de coluna e nada de mais grave ter ocorrido é que tenho certeza da mão misericordiosa de Deus.
Mais tarde, tive notícias de tumores em meu corpo, mas Deus conduziu tudo novamente. O que poderia temer? O que mais minha impaciência poderia resolver?
Essas experiências todas me fazem pensar que, com Deus tudo é possível, que nosso tempo não é o tempo de Deus e que com calma e confiança, junto dEle, até nosso temperamento pode ser moldado.
Que a graça e a justiça de nosso maravilhoso Deus nos acompanhem em todos os dias de nossa vida!
Rute Rodrigues Ocáriz

Transplante de Coração
Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Ezequiel 36:26
Certo dia, estava em frente ao computador e tive a curiosidade de pesquisar a respeito de como era feito o transplante de coração. Encontrei informações muito interessantes; porém, o que me chamou a atenção foi o processo da troca de um coração doente para colocar um coração saudável.
Sabemos que esse processo é bem burocrático. No momento em que se des­cobre a doença e o médico vê a necessidade de um transplante, o paciente fica na fila de espera até encontrar um doador compatível, o que, às vezes, demora algum tempo. Quando aparece o doador, o paciente que receberá o órgão é avisado imediatamente pelo hospital para se preparar para fazer a cirurgia. O coração é retirado do doador somente quando é constatada a morte cerebral. O órgão é mergulhado numa substância salina e colocado em uma caixa de isopor com gelo para mante-lo funcionando até o paciente chegar e ser submetido à cirurgia. E tudo isso precisa ser feito dentro de um prazo de no máximo 4 horas. Acredito plenamente que todo esse processo fascinante da medicina avançada vem de Deus, e os homens são apenas Seus instrumentos.
Em janeiro de 2007, minha família e eu sofremos um acidente automobilístico quando voltávamos de férias. Graças ao bom Deus, meu esposo e os dois filhos não se machucaram. Eu sofri um corte profundo na mão esquerda que afetou o nervo do dedo mínimo e tive que ser levada imediatamente para o hospital.
Sou uma pessoa que não gosta de cirurgias. Tenho muito medo. Entretanto, naquele momento, percebi que precisava me submeter à equipe médica. Assim, confiei plenamente que iriam restaurar minha mão e que ela estaria perfeita no fim.
Quem está com a vida por um fio se submete e corre riscos. Os especialistas dizem que o transplante de coração é uma promessa de vida nova para quem sofre de insuficiência cardíaca avançada.
Hoje, Deus nos convida para que nos submetamos a um transplante de coração. Você deseja fazer essa cirurgia? Ele está ansioso para realizá-la e você não precisa ficar na fila de espera. Ele é o Médico dos médicos e o próprio Doador. O Senhor deseja tirar seu coração - que sofre de insuficiência para amar e obedecer; o coração de pedra, cheio de ódio, amargura, angústia, tristeza, invejas, cobiça - e colocar um coração de carne, que é capaz de amar, perdoar, sentir compaixão e fazer amigos.
Não precisamos permanecer enfermos do coração, pois isso pode compro­meter nossa vida eterna. Não corramos esse risco. Submetamo-nos e confiemos em Jesus e, assim, teremos uma nova vida.
Maria de Fátima Araújo Rios

Os Pensamentos do Senhor
Assim como os céus são mais altos do que a Terra, também os Meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os Meus pensamentos, mais altos do que os seus pensamentos. Isaías 55:9
Deus me deu uma família maravilhosa e pais que me ensinaram muitas coisas, principalmente a amar Jesus. Sempre quis servir ao Senhor e estar à Sua disposição para ir aonde Ele desejasse e fazer, pensar e falar somente o que louvasse Seu nome.
Já adulta, viajei durante quase uma década por vários estados brasileiros, à disposição da empresa para a qual eu trabalhava.
Em um treinamento para jovens da igreja, ouvi falar sobre os sonhos de Deus para nós. Veio à minha mente, como um filme, a lembrança dos sonhos que Deus tentou realizar em minha vida e que eu, com minhas escolhas erradas, havia frustrado. Percebi que estava lutando sozinha e, pior, para alcançar meus sonhos o tempo todo, correndo atrás do vento.
Que tristeza senti ali naquele encontro! Percebendo o que tinha feito, orei a Deus e perguntei se Ele ainda tinha algum sonho para mim e qual seria.
A partir daquele dia, nasceu um sonho no meu coração. O sonho de tornar realidade o sonho de Deus para mim, fosse ele qual fosse.
A empresa passou por alguns problemas e terminou me demitindo. As di­ficuldades vieram, mas aprendi a viver um dia por vez, como aconselha Jesus.
Foi então que recebi mais um chamado de Deus. Desta vez, eu estava bem atenta e disposta a dizer sim. Foi o chamado para colportar, ou seja, vender livros da igreja. Prontamente aceitei. Essa foi uma das melhores escolhas que fiz em minha vida.
Acostumei-me a falar que agora eu trabalhava numa empresa "multiuniversal" pois o dono dela é Deus, e Ele é o dono do Universo. Tudo era maravilhoso. Aprendi a ter momentos especialmente verdadeiros com Deus. Podia sentir Sua constante e amável presença.
No início de 2006, fui colportar em uma cidade, perto de Salvador. Lá co­nheci meu futuro esposo. Éramos da mesma idade. Mas, apesar de jovem, ele já era viúvo e tinha duas filhas: uma de 11 anos e outra de 9, além de criar uma sobrinha de 15 anos. Ele queria se casar comigo.
Lutei muito com Deus, pois não era isso que eu tinha planejado para mim. Então, me lembrei dos sonhos de Deus.
Louvo a Deus porque escolhi atender à voz e ao pedido de Deus ao meu coração para que eu cuidasse das meninas e formasse um lar. Oro muito para que Deus me ajude a ser como Ele deseja, e, especialmente, a ser uma boa esposa e mãe.
Dionélia de Jesus Roque Teixeira

Uma Experiência Singular
Porque a Seus anjos Ele dará ordens a seu respeito, para que o protejam em todos os seus caminhos. Salmo 91:11
Passei por uma experiência singular quando estava preparando minha mono­grafia para a conclusão do curso. Pedi que Deus escolhesse o professor para me orientar e, para minha surpresa, a coordenadora do curso me disse que tinha um professor que havia escolhido a mim e a um outro colega para orientar. Fiquei a princípio preocupada, pois esse professor era considerado bastante exigente e costumava reprovar os alunos. Lembrei-me da promessa de Deus quando afirma em Sua palavra: "Não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a Minha mão direita vitoriosa" (Isaías 41:10).
Essas palavras tinham norteado minha caminhada e, a partir daí, passei a definir algumas prioridades em minha vida. A primeira delas foi eleger Deus como o meu principal orientador nesse trabalho monográfico. Todas as vezes que tinha que apresentar um determinado capítulo da monografia, primeiro eu o apresentava a Deus. Quando mostrava ao professor, ele dizia que estava muito bom e perguntava se eu tinha consultado alguém enquanto estava escrevendo. Sempre respondia que eu costumava apresentar antes a Deus, pois, para mim, Ele é o principal orientador de todas as coisas.
Um dia antes da apresentação da monografia, acordei de madrugada para orar a Deus como de costume. Em minhas orações, eu clamava a Deus para que os anjos do Senhor se fizessem presentes na universidade e julgassem meu trabalho. Quando acabei de orar, ao abrir os olhos, vi um grande clarão no céu. Eu soube que eram anjos que Deus havia enviado para me animar. Fiquei emocionada ao ver esse cenário.
Assim que apresentei meu trabalho, foram feitas as considerações dos professores e, para honra e glória de Deus, fui avaliada com a nota máxima. Aproveitei a oportunidade para apresentar uma música de louvor, cantada pela minha filha de 10 anos.
Depois de alguns dias, telefonei para o professor para lhe entregar um livro. Ele me disse que, enquanto minha filha cantava, sentiu a presença dos anjos.
Esta experiência me ensinou lições de perseverança, determinação e, sobretudo, de comunhão com Deus. Vivenciar o amor de Deus é uma atitude de fé e envolve mudança de vida a fim de ser um exemplo para salvar outras vidas.
Naildes Andrade Bitencourt Pereira

Cuidado com Suas Emoções
Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos. Hebreus 12:15
A medicina evoluiu muito nos últimos anos, especialmente no que diz res­peito ao que representa o estresse para o organismo. Hoje, sabemos que pelo menos 80% das doenças têm como causa o desequilíbrio das emoções e os traumas emocionais. Entendemos melhor a inter-relação dos nossos sistemas orgânicos: endocrinológico, imunológico e psicológico. Sabemos que quando há desequilíbrio e falha em algum deles, todo o corpo sofre as consequências.
O sistema psicológico (e também neurológico) ganha importância especial, pois os distúrbios emocionais são elementos geradores de desequilíbrio, de dis­funções e de doenças. As emoções podem ser negativas ou positivas. As negativas (raiva, medo, rancor, expectativa ansiosa, tristeza, mágoa, culpa) são emoções que liberam estímulo do sistema límbico, da glândula suprarrenal, a qual produz, no momento devido, a quantidade necessária de adrenalina para o organismo.
Vamos imaginar que você viu um cachorro vindo em sua direção. O medo toma conta de você, e você é estimulada a correr para se defender do cachorro. Nesse caso, a adrenalina que foi lançada em seu sangue foi na quantidade necessária para que você tivesse ânimo e disposição para correr, para se defender do cachorro. No entanto, se a adrenalina permanecer por muito tempo circulando na corrente sanguínea, e em proporções anormais, ou em repetições constantes, isto será muito prejudicial ao seu organismo. Pode provocar emoções negativas em cadeia, e em momentos errados, estimulando negativamente a função de várias estruturas: tireóide, pâncreas, ovários, artérias, coração, músculos, gerando desequilíbrio e doenças. A adrenalina na quantidade certa e no momento adequado nos ajuda a achar soluções que resolvam muitos de nossos conflitos e traumas pessoais.
A Palavra de Deus, a Bíblia, nos aconselha a como lidar com as emoções ne­gativas, ao dizer: "Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha" (Efésios 4:26). Em outras palavras, não vão dormir com o coração cheio de raiva.
Gosto muito de uma ilustração simples que diz: "Se alguém lhe der um limão, transforme-o em uma limonada."
Que Deus nos abençoe, para que possamos ter sabedoria para transformar as emoções negativas em coisas boas, estando emocionalmente acima de toda raiva, amargor ou sentimento de vingança. Que sejamos todas nós plantas doces, de cheiro suave e gostoso, perfumando o ambiente ao nosso redor.
Rione Cássia L. Oliveira Carvalho

Contruindo Édens
Há caminho que parece certo ao homem, mas no final conduz à morte. Provérbios 14:12
Aquele deveria ser um dia comum de trabalho. Fiz a meditação com meus alunos e, em seguida, comecei as aulas. Próximo ao horário do intervalo, vi um rostinho vermelho com olhos bem verdes, com aspecto desesperado, a olhar-me pelo vidro da porta. Pedi licença aos alunos e fui em direção àquela pessoa que não conseguia distinguir tão bem quem era.
Ele chorava copiosamente. Naquele momento, a única coisa que pude fazer foi abraçá-lo. E, quando ele se recompôs um pouco, pude ouvi-lo dizer entre soluços: "Professora, vim aqui porque me lembrei da senhora, dos meus professores, da escola e sabia que poderia ter alívio e oração neste lugar."
Pude ouvi-lo dizer que se lembrava de uma meditação em que eu falara sobre a importância da castidade e de se manter puro sexualmente para o momento certo, com a pessoa certa e de acordo com os propósitos de Deus. Infelizmente, porém, ele não tinha feito o percurso correto e sua namorada estava num hospital próximo à escola para fazer uma curetagem, e ela não estava nada bem. Ele disse que sabia que se orássemos tudo ficaria melhor. Levei-o até a sala dos professores. Alguns professores estavam chegando para o intervalo e juntamo-nos com os que lá estavam. Contei o que acontecera, enquanto ele chorava. Ao tentar se recompor, mais uma vez, fez questão de dizer que sabia que podia contar conosco.
Nós nos reunimos ao redor do rapaz e oramos. Quando terminamos, podíamos ver um semblante mais tranquilo e suave, embora inundado pelas lágrimas. Ele agradeceu, abraçou-nos e foi assumir a parte que lhe cabia naquele momento.
Uma de minhas maiores alegrias na vida é estar há mais de 20 anos trabalhando em Escolas Adventistas, ou seja, construindo Édens. Como professores, educadores e pais, nem sempre conseguimos fazer tudo certo. Entretanto, não devemos nos frustrar, desesperar-nos ou desistir. O perfeito, maior e melhor educador de todo o Universo viu Seu casal de filhos fazer suas próprias escolhas e os respeitou.
De uma coisa estou certa, compensa ensinar às crianças o caminho em que devem andar, porque mesmo que elas se desviem, os princípios que alicerçaram o caminho as constrangem a voltar.
Muitas vezes, nos desviamos dos caminhos do Senhor e pagamos um preço alto. Somos constantemente movidos pelo princípio do prazer e não da razão. Nossa história de pecado, ainda que com novas roupagens, sempre acaba se repetindo pela via da desobediência. Entretanto, até que Jesus venha, precisamos deixar que o Éden cresça em nós, pelo poder de Deus, e dizer não aos caminhos que geram dor, sofrimento e morte.
Tereza Cristina Matos

Replexo do Pai
Os filhos são um presente do Senhor, eles são uma verdadeira bênção. Salmo 127:3, NTLH
Tive a primeira crise renal em 1974 e, como consequência, tive que ser inter­nada no Hospital Adventista de São Paulo por vários dias. Em meu quarto, na cabeceira da cama, havia uma meditação. Eu lia todos os temas, e aqueles que considerava de suma importância, eram copiados. Dentre os textos que copiei e que guardei em meu arquivo há uma história que marcou minha trajetória de mãe.
É sobre um professor que fez uma visita a uma fazenda. Ele ficara impressio­nado de modo especial com a inteligência e a boa conduta da única criança que havia na casa, um menino de 4 anos de idade.
A mãe estava na pia da cozinha lavando as complicadas partes da desnatadeira, quando o garoto se dirigiu para ela levando uma revista. "Mamãe", disse ele, "o que este homem está fazendo?"
A mãe enxugou as mãos, assentou-se em uma cadeira e colocou o menino no colo, gastando dez minutos para responder às perguntas. Depois que a criança se retirou, o visitante comentou com a mãe sobre o gesto de parar com seu trabalho e dedicar-se a responder às perguntas do filho. Ele ainda disse que a maioria das mães não teria se incomodado. Então, a mãe respondeu: "Espero continuar lavando esta desnatadeira pelo resto da minha vida, mas jamais desejo deixar meu filho com algum tipo de dúvida, porque uma vez perdidos esses momentos, estarão perdidos para sempre."
Essa história, lida antes de eu ser mãe, fez uma grande diferença em minha vida. Apesar de tê-la lido várias vezes, muitas vezes eu cometia erros relacionados à falta de tempo com minhas filhas. Contudo, em minhas orações, suplicava que Deus tivesse misericórdia de mim e me desse sabedoria e discernimento nesta missão de preparar minhas filhas não só para esta vida, mas, acima de tudo, para a vida eterna com Deus.
Você sabe como criar filhos que amem a Deus? Você e eu somos responsáveis pela educação de nossos filhos. Deus nos deu um lugar especial para conduzir os pequeninos nos caminhos que os conduzirão à vida eterna.
A cada mãe Deus diz: "Tome esta criança e eduque-a para Mim. Forme um caráter nobre capaz de vencer as influências negativas, e prepare-a para servir aos seus semelhantes."
Ensinar nossos filhos a servir aos outros, socorrer os necessitados e fazer o bem sem esperar algo em troca só é possível se desenvolvermos uma parceria com Deus. É algo que requer tempo, companheirismo, dedicação e muito amor. Permita que Deus dirija sua vida, e que seus filhos vejam em você o reflexo do Pai.
Meribel Mello Guedes

Um Anjo Chamado Maria
Busquei o Senhor, e Ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Salmo 34:4
O dia não começara bem e parecia que terminaria do mesmo jeito. Depois de urna manhã estressante e de uma tarde quase sem nenhum rendimento, precisávamos entrar em contato com nossos familiares; porém, não conseguíamos comprar um cartão telefónico.
Após uma tentativa de comunicação inútil com a recepcionista, fomos diretamente ao quarto. Ao chegar, ouvi uma voz em espanhol que vinha do fim do corredor perguntando se gostaríamos de alguma ajuda. Como é típico da maioria dos homens, meu marido respondeu rapidamente: "Não, obrigado." Sem perceber, eu já estava falando e pedindo ajuda. Ela então se apresentou, dizendo que trabalhava na limpeza e tinha vindo do Peru. Seu marido era pastor e estava fazendo doutorado na universidade. Ela se chamava Maria e nos disse que seria um prazer nos ajudar.
Após o expediente, com seu carro, ela nos levou ao local onde poderíamos comprar o cartão telefónico, e assim o fizemos. Depois que compramos o cartão, guiada pelo Espírito Santo, ela nos perguntou se gostaríamos de conhecer alguns casais de brasileiros que moravam no campus da universidade.
Pareceu-nos um pouco inapropriado para o momento e respondemos que não era necessário e que preferíamos voltar para o dormitório, já que gostaríamos de falar com nossos familiares. Sem falar que, no momento, não estávamos com energia física ou emocional para falarmos com desconhecidos. Maria, convicta do que estava fazendo, insistiu novamente conosco. Assim, achamos que o melhor era fazer a vontade dela, já que estava sendo tão bondosa conosco.
Depois de alguns minutos, chegamos ao bloco de apartamentos e, sem graça, descemos do carro. Maria tocou a campainha. A porta se abriu e, para nossa surpresa, à nossa frente estava um casal de amigos do tempo de colégio, o pastor Kleyton e a Delma Feitosa. Logo ficamos sabendo que mais dois casais de amigos moravam ali.
Deus nos deu o privilégio de encontrarmos nossos amigos e termos resposta para nossos problemas de tradução. Tivemos o privilégio de ter o pastor Kleyton em um turno e o pastor Paulo Oliveira no outro turno.
O curso terminou de forma inspiradora e encorajadora, revelando experi­ências de pessoas que passaram muitos anos nos campos missionários e seus momentos marcantes.
Maria se foi. Nunca mais a vi, mas ela nos deixou a certeza e a lembrança de que anjos existem, às vezes em forma humana, e que Deus nunca falha conosco.
Cleidi Kuhn


O Sorriso de Deus - Meditação da Mulher

CPB

Comentários