Cada Dia uma Nova História - Inspiração Juvenil

O cuidado com os animais
Os bons cuidam bem dos seus animais, porém o coração dos maus é cruel. Provérbios 12:10
Fofucho estava encurralado embaixo da cama. Soltou um miado assustador, mas João não se intimidou. O garoto se abaixou e olhou para o gato escon­dido. Os olhos do animal brilhavam nas sombras escuras enquanto o menino dava uma risada assustadora.
- Venha brincar, senhor Fofucho! - disse João, percebendo que os pelos do animal haviam se arrepiado.
O gato era o bicho de estimação do menino. Dócil, ele desfilava pela casa e comia sua ração em um prato na despensa. No entanto, a paz do animal aca­bou quando João descobriu o prazer mórbido de persegui-lo. Inicialmente, João apenas o assustava; mas, depois, passou a agarrar Fofucho, apertar suas patas e lhe torcer o rabo. Ele vibrava com o miado de dor do gato, e isso se tornou uma diversão quando estava sozinho em casa.
Naquela tarde, o garoto havia encurralado Fofucho embaixo da cama da irmã. Com rapidez, ele conseguiu agarrar o animal pelo pescoço e puxá-lo para fora. Pouco depois, sentado no chão do quarto, iniciou sua pequena sessão de tortura e só terminou após estar satisfeito com o sofrimento do gato, que saiu correndo assim que o soltou,
À noite, quando a família se reuniu para o jantar, a irmã de João, Míriam, colocou o notebook na mesa e apresentou aos pais a filmagem dos atos cruéis do garoto. Ela havia deixado a webcam do computador ligada, pois desconfiava que o irmão entrava em seu quarto quando ela não estava em casa. Para sua surpresa, flagrou algo ainda pior. Naquele dia, as consequências para João foram desastrosas, pois seus pais o repreenderam duramente por seu comportamento.
Arthur Schopenhauer disse: "A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." Infelizmente, a humanidade tem infligido terríveis torturas aos animais. Muitos são maltratados nos criadouros e nos matadouros, como seres que não sentem nenhuma dor ou sofrimento.
Essa realidade deveria nos fazer refletir sobre nossos hábitos alimentares. Vale a pena nos alimentarmos do sofrimento de animais inocentes? Pense nisso!

Saudades
José mandou aprontar o seu carro e foi para Gósen afim de se encontrar com o pai, Quando se encontraram, José o abraçou e chorou abraçado com ele por muito tempo. Gênesis 46:29
Cíntia chegou à casa da amiga Laura e foram direto ao quarto, para conversarem.
- Briguei com meu pai ide novo - disse Cíntia.
- E qual foi o motivo dessa vez?
- O de sempre: implicância - Cíntia sentou-se em um pufe amarelo no can­to do quarto e soltou todo o ar dos pulmões.
Chateada, ela continuou:
- Não aguento mais viver sob o mesmo teto que ele. É muita implicância! Parece que ele procura motivos para me provocar.  Ele fala da minha roupa, da minha maquiagem e das minhas companhias. Meu pai implica com a hora que volto para casa, com a hora que eu saio e fica me ligando se eu demoro a chegar. Ele fica incomodado quando estou sem fazer nada e diz que eu deveria ajudar mais nos afazeres de casa. Acho que ele pensa que sou empregada, e não filha!
- São esses os seus motivos? - perguntou Laura, sorrindo.
- São! Você acha pouco?
- Sim, poucos e bobos. Isso para mim não é problema - falou com sinceridade a amiga.
- Como assim, bobos?
- Ora, Cíntia, olhe para as duas fotos que tenho na estante - Laura apontou para duas molduras antigas, onde uma criança sorridente estava ao lado do pai.
Cíntia começou a entender o que a amiga queria dizer. Laura prosseguiu:
- Perdi meu pai quando eu tinha 5 anos. Queria tê-lo por perto para cismar comigo e ficar cuidando das roupas que visto ou dos meus horários - ela lamentou. - Cíntia, sua família está conpleta, mas você está querendo quebrá-la. Deixe de ser boba! Ouça seu pai e agradeça a Deus por tê-lo ao seu lado, cuidando de você.
Nem todo mundo tem achance de ter uma família completa. Desfrute hoje da companhia de seus pais. Agradeça por se preocuparem com você e por implicarem com os detalhes de sua. vida. Pais que amam seus filhos costumam estar atentos aos aspectos de suas eternas crianças.
Se a sua família já não estiver mais completa, coloque sua esperança em Jesus. No dia da vinda de Cristo, vcê poderá se reencontrar com os seus queridos, para nunca mais se separar deles. Neste dia, toda saudade terá fim. Creia!

Vontade de viver
Estou cansado de viver. Vou me desabafar e falar da amargura que tenho no coração. Jó 10:1
Fazia um ano que os pais de Jéssica haviam se separado. Desde então, ela não conseguia mais ser feliz. Suas notas na escola caíram muito, e ela passou a ter dificuldades de aprendizagem. Jéssica não sentia vontade de fazer novas amizades e seus dias se resumiam a ficar dentro do quarto comendo aquilo que estivesse na geladeira.
No decorrer do processo de separação de seus pais, Jéssica sentia-se como descreve Jó 30:27: "O meu coração está agitado e não descansa; só tenho vivido dias de aflição." Entretanto, quando a situação se estabilizou, ela foi dominada por uma apatia completa. Não sentia mais vontade de ir à escola, estudar ou se cuidar. A jovem relaxou com a própria aparência, negligenciando a higiene e os cuidados pessoais. Ela achava que poderia ter dado motivos para a separação; e, às vezes, chorava com esse pensamento. Jéssica achava que era inferior a todos e que não merecia a atenção de ninguém. Depois de algum tempo, perdeu até mesmo a vontade de viver.
Pela graça de Deus, sua mãe percebeu a tempo a situação da filha e passou a ajudá-la. Ela procurou o auxílio profissional de um psicólogo, mas outra decisão foi fundamental para a recuperação de Jéssica. Sua mãe conheceu a Jesus em uma igreja frequentada por uma amiga e se converteu ao evangelho. Com novas perspectivas, conduziu a filha aos caminhos do Senhor.
Ellen White escreveu: "Você necessita de Jesus a cada passo. Sua vida é dema­siado preciosa para ser trarada como se fosse de pouca importância. O Calvário testifica o valor de sua alma. Consulte a Palavra de Deus, a fim de que possa saber como usar a vida que lhe foi comprada por um preço infinito" (Cartas a Jovens Namorados, p. 26).
Às vezes, ocorrem situações em nossa vida que nos deixam muito desani­mados. Achamos que não temos nenhum valor, passamos a nos sentir tristes e rejeitados, perdendo até mesmo a vontade de viver.
Você é tão precioso para Deus que Ele enviou Seu único Filho para resgatá-lo. Nunca se esqueça de que esse é o seu valor e de que Jesus pode restaurar toda dor, sofrimento e desânimo que possam existir em seu coração.

Vale a pena esperar
Vocês precisam ter paciência para poder fazer a vontade de Deus e receber o que Ele promete. Hebreus 10:36
Aquele fora o dia mais longo da vida de Caíque. No sábado à noite, o pai havia prometido levá-lo ao parque de diversões na noite de domingo, e o garoto mal conseguira dormir de tanta ansiedade. Essa seria sua primeira experiência em um local com tantas atrações reunidas.
No dia seguinte, ele foi o primeiro a acordar. Tomou o desjejum, brincou na varanda da casa e jogou vídeo game; mas a manhã parecia não chegar ao fim. Quando almoçou, olhou no relógio e viu que faltavam ainda algumas horas para o passeio esperado. Procurou fazer algo divertido no decorrer da tarde; mas, aparentemente, o tempo corria bem devagar. Vez ou outra ia à sala, deitava-se no sofá ao lado do pai e perguntava: "A que horas a gente vai sair?", "Você vai ao barco pirata comigo?", "Eu quero algodão-doce na saída, você compra?"
Quando a noite chegou, todos na casa começaram a se arrumar . Caíque foi o primeiro a ficar pronto. Como toda a família estava demorando demais, o garoto os apressava, dizendo que quanto mais cedo chegassem, menos fila pega­riam nos brinquedos.
Finalmente eles saíratn de casa, mas o trânsito parecia muito congestionado para um domingo à noite. Ansioso, Caíque de minuto em minuto perguntava: "Não tem um caminho mais rápido?" Quando chegaram ao parque, o pai estacionou o carro e foi à bilheteria comprar as entradas. O garoto olhou para a imensidão colorida dos brinquedos quase sem acreditar que poderia se divertir à vontade. A espera valeu a pena, pois aquela noite foi inesquecível.
Há esperas que serão grandemente compensadas. Há promessas maravilhosas para a vida de todo cristão. Algumas delas parecem que demoram a se cumprir. Às vezes, pensamos que as bênçãos do Senhor nunca nos alcançarão. Ellen White escreveu que nós "devemos permitir que a paciência tenha a sua obra perfeita, lembrando-nos de que há preciosas promessas nas Escrituras para aqueles que esperam no Senhor" (A Ciência do Bom Viver, p. 231).
É preciso aguardar no Senhor com fé e paciência, pois Ele nunca deixou de cumprir Sua palavra. A maior das promessas é a de que Jesus voltará para nos livrar de todo sofrimento deste mundo.


O efeito do amor
Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu para serem dEle. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência. Colossenses 3:12
Você pode pegar aquele livro para mim? - perguntou uma voz feminina atrás de Gabriel.
O garoto se virou para perguntar exatamente qual era o livro, mas sua voz parou em algum lugar da garganta. Ele não podia acreditar que Jamile estava à sua frente, pedindo-lhe um livro da estante da biblioteca. Gabriel tentou falar algo, mas só conseguiu gaguejar.
- Você está bem? - Perguntou Jamile, notando que o garoto estava estranho.
- S... Si... Sim... - Gabriel balbuciou. Ele então se virou para a estante e pegou o livro, deixando-o cair.
Desajeitado, segurou o livro e o entregou a Jamile.
- Obrigada! - disse ela, seguindo em direção ao corredor.
"Como sou bobo!", Gabriel pensou enquanto suspirava. "Não acredito que perdi a chance de falar com Jamile!"
Gabriel estava apaixonado por ela, mas não tinha coragem de se declarar. Ele não tomava nenhuma atitude para expressar o amor que sentia.
É muito fácil dizer que ama Jesus; porém, é complicado externar esse senti­mento para as pessoas ao redor. Tiago 2:15-17 explica isso: "Por exemplo, pode haver irmãos ou irmãs que precisam de roupa e que não têm nada para comer. Se vocês não lhes dão o que eles precisam para viver, não adianta nada dizer: 'Que Deus os abençoe! Vistam agasalhos e comam bem.' Portanto, a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morta."
Não basta achar que amamos a Deus. É necessário expressar esse sentimento por meio de gestos caridosos ao próximo. Quem pensa que ama, mas não age amorosamente, assemelha-se a adolescentes que experimentam uma paixão platônica. Se você realmente ama a Deus deve espalhar esse sentimento mediante ações concretas. É hora de ajudar aqueles que necessitam de carinho, atenção e caridade.

O vigor de Calebe
E me sinto tão forte hoje como no dia em que Moisés me mandou espionar a terra. Ainda tenho bastante força para combater na guerra e para fazer o que for preciso. Josué 14:11
O relógio indicava 9h da manhã. Alécio sentou-se na cama e esfregou os olhos. A semana havia sido agitada na faculdade, e ele estava muito cansado. Alécio morava em uma república com outros cinco universitários. Todos estavam dor­mindo até mais tarde, aproveitando a folga do sábado.
Aquele era o dia que Alécio costumava ir à igreja com a família. Ele cami­nhou até o banheiro, escovou os dentes e pensou: "Se eu me apressar, talvez eu consiga chegar a tempo para ouvir a mensagem do pastor."
Colocou a roupa, pegou a Bíblia e sentou-se no sofá da sala. De repente, o desânimo tomou conta do jovem. A vontade de ir ao culto sumiu. Não queria reencontrar ninguém da igreja. Faltava coragem para sair daquele sofá.
Alécio recostou a cabeça e fechou os olhos. Lembrou-se do tempo em que era do Clube de Desbravadores; dos acampamentos nos fins de semana; dos encontros de jovens; dos pequenos grupos de estudos da Bíblia às sextas-feiras à noite e dos evangelismos e ações sociais aos sábados à tarde.
Parecia ter perdido toda a sua energia para essas atividades. Então, lem­brou-se da história de Calebe que, mesmo sendo idoso, dizia que possuía força para enfrentar qualquer batalha. Alécio abriu sua Bíblia em Josué 14:10 e 11: "E Calebe continuou: - Agora veja! Faz quarenta e cinco anos que o Senhor Deus disse essas coisas a Moisés. Isso foi no tempo em que o povo de Israel atravessava o deserto; e o Senhor me tem conservado com vida até hoje. Olhe para mim! Estou com oitenta e cinco anos e me sinto tão forte hoje como no dia em que Moisés me mandou espionar a terra. Ainda tenho bastante força para combater na guerra e para fazer o que for preciso."
Alécio precisava do vigor de Calebe para reanimar-se e fazer a obra de Deus. E você, está disposto a ir à igreja e pregar o evangelho?
Se você está se sentindo desanimado, peça hoje a coragem e a força de Calebe. Saia da melancolia e faça com alegria e vigor o trabalho do Senhor!

Domínio próprio
Mas o Espírito de Deus produz [...] o domínio próprio. Gálatas 5:22, 23
Serginho precisava emagrecer. Não era uma simples questão estética; sua saúde estava comprometida. Ele havia visitado um médico que o alertou a respeito de seu peso e das alterações encontradas nos exames que fez,
- Se continuar nesse ritmo, seu quadro pode ser irreversível no futuro - advertiu o médico, dando orientações sobre os riscos que corria se não mudasse drasticamente os hábitos alimentares.
A nutricionista recomendou um cardápio completo para que Serginho se­guisse e propôs que ele procurasse uma academia a fim de iniciar exercícios físi­cos sob a orientação de um professor.
Os esforços de Serginho duraram um mês. No princípio, ele ficou animado, ingeriu mais legumes, menos frituras e foi três vezes por semana à academia. Todavia, com o passar dos dias, ele desistiu do propósito. Começou a inventar desculpas para não se exercitar e voltou a comer alimentos que contrariavam a orientação médica. Um pouco de domínio próprio o teria ajudado a superar as dificuldades de adaptação ao seu novo estilo de vida. Mesmo sabendo que não seria fácil, ele pouco se esforçou para vencer.
O domínio próprio é indispensável em todas as áreas da vida. Ele favorece o bem-estar social, físico e rnental. É preciso controle emocional para não entrar em conflitos constantes com as pessoas com as quais convivemos. Quem não se domina costuma nutrir raiva e se irar com frequência. Sem o devido controle emocional, podemos, inclusive, manter relacionamentos afetivos inadequados.
O domínio próprio no cuidado com o corpo nos ajuda a preservar a saúde física. Ele também nos auxilia a manter na mente apenas aquilo que nos edifica, livrando-nos de pensamentos destrutivos que nos afastam de Deus.
Pitágoras disse: "Não é livre aquele que não obteve domínio próprio." Essa virtude é dom de Deus, e você deve orar pedindo a Ele sabedoria para ser moderado em todas as coisas.


Motorista ou passageiro?
Que o Espírito de Deus, que nos deu a vida, controle também a nossa vida! Gálatas 5:25
Eu suava frio enquanto me agarrava no banco do carona do meu carro. Mi­nha esposa estava sentada no banco do motorista, e eu tentava lhe ensinar a dirigir:
- Solte a embreagem bem devagar e acelere suavemente.
Ela obedeceu à orienitação, mas o carro deu três solavancos e morreu. Na segunda tentativa, minha esposa conseguiu. Todavia, comecei a ficar desesperado conforme o carro tomava velocidade e se aproximava de um cruzamento. Eu não tinha nenhum controle sobre o veículo e não poderia fazer nada se algo desse errado.
- Encoste o carro e estacione - eu pedi enquanto enxugava o suor em minha testa.
- O que foi? - minha esposa perguntou. - Você está pálido!
- Estou com medo - confessei.
- Por que você está com medo?
- Porque eu não estou no controle. Caso você cometa algum erro na direção, eu não poderei fazer nada.
Depois daquele dia, julguei-me incapaz de ensinar alguém a dirigir um carro.
Às vezes, nós temos dificuldade de entregar a condução de nossa vida ao Espírito de Deus, pois não confiamos totalmente nEle. Preferimos tomar as próprias decisões. Agimos sozinhos em nossos negócios e relacionamentos. Não permitimos que Jesus assuma o volante da nossa história. Ocasionalmen­te até consultamos a Deus, perguntando-Lhe: "Qual é o melhor caminho para chegar aonde quero?" O problema, porém, é que nos recusamos a deixar o Senhor conduzir nossa trajetória.
Por que fazemos de Cristo o copiloto e não o piloto? Não tenha medo! Con­fie completamente em Jesus. Ele não apenas conhece o caminho para o Céu; Ele é o próprio Caminho! "Jesus respondeu: - Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por Mim" (João 14:6).


Inspiração Juvenil - Cada Dia uma Nova História - Denis Cruz

Comentários