o amor do céu

“Aquele que não poupou Seu próprio Filho, mas O entregou por todos nós, como não nos dará juntamente com Ele, e de graça, todas as coisas?” (Romanos 8:32).
O amor de Deus – Ele não tem nada a ver com você. Outras pessoas amam você por você mesmo, por causa das suas covinhas profundas quando sorri ou por seu charme retórico quando está  flertando. Algumas pessoas amam você por quem você é. Deus não. Ele ama você por quem Ele é. Ele ama você porque Ele decide fazê-lo. Autogerado, não provocado e espontâneo, o amor de nível constante depende da escolha dEle em concedê-lo. “O Senhor não se afeiçoou a vocês nem os escolheu por serem mais numerosos do que os outros povos, pois vocês eram o menor de todos os povos.  Mas foi porque o Senhor os amou” (Dt 7:7-8).
Você não influencia o amor de Deus.  Você não pode fazer com que uma árvore seja mais árvore, que o céu seja mais céu, que uma pedra seja mais pedra. Assim como não pode afetar o amor de Deus. Se pudesse, João teria usado mais tinta: “Deus é amor ocasional”, ou “amor esporádico”, ou “amor nos bons momentos”. Se as suas ações alterassem a devoção dEle, então Deus não seria amor; de fato, Ele seria humano, pois assim é o amor humano.
Você precisa de uma fonte de amor que não seque? Você a encontrará sobre uma colina pedregosa fora dos muros de Jerusalém, onde Jesus está pendurado, pregado numa cruz e coroado com espinhos. Quando não se sentir amado, suba aquele monte. Medite bastante e com intensidade sobre o amor do céu por você.
Ore comigo: “Obrigado, Pai, pelo fato de o Teu amor não ser como o amor humano.  Teu amor vê o nosso pecado e, ainda assim, nos ama. Que eu nunca me esqueça de que Tu não podes nos amar mais do que nos amas agora”.

Max Lucado

Comentários