17 de outubro de 2015

Vendo Deus aqui e agora

“Ninguém jamais viu a Deus” (I João 4:12).
“Homem nenhum verá a Minha face e viverá” (Êxodo 33:20).
“Felizes os que têm o coração puro, pois eles verão a Deus” (Mateus 5:8, BLH).
O que a Bíblia quer dizer quando afirma que os puros de coração verão a Deus? É essa uma experiência presente ou algo que terá lugar no futuro? A resposta inclui as duas coisas.
Moisés é um bom exemplo dessa questão. Depois da trágica experiência do bezerro de ouro, e pouco antes de Deus dar a Moisés os Dez Mandamentos pela segunda vez, o profeta pediu para ver a glória de Deus. Em Sua bondade, Deus colocou Moisés na fenda de uma rocha e prometeu deixá-lo ver Suas costas: “Tu Me verás pelas costas; mas a Minha face não se verá” (Êx 33:23).
Assim acontece conosco. Embora vá chegar a ocasião em que “haveremos de vê-Lo como Ele é” (I Jo 3:2), atualmente, por assim dizer, só O vemos pelas costas – nós O vemos parcialmente.
Mas esse vislumbre parcial é uma realidade presente. Afinal, Jesus disse que aquele que O vê, vê o Pai (João 14:9). Jesus veio para revelar o Pai ao mundo. Como resultado, quando estudamos a história do evangelho, captamos o melhor vislumbre do Pai que está disponível agora. Logicamente, aquilo que é verdade a respeito dos quatro Evangelhos, é também verdade acerca do restante da Bíblia em menor sentido. Todas as Escrituras são apenas um reflexo parcial de Deus.
Os cristãos não só captam vislumbres de Deus na Bíblia, mas, através dos compreensíveis olhos da fé, podem perceber o toque de Deus na natureza, nos eventos da História e na maneira como Ele os trata diariamente. Conquanto apreciemos os vislumbres de Deus, aguardamos com ansiosa antecipação aquele dia em que O veremos face a face na Terra renovada. Os vislumbres de Sua glória e amor, que nos são permitidos agora, nos dão apenas uma pálida noção do que virá para aqueles que com toda sinceridade dedicaram a vida a Deus.

George R. Knight

Nenhum comentário:

Postar um comentário