13 de novembro de 2015

Amor perdoador

“Seus irmãos foram colocados à mesa perante ele por ordem de idade, do mais velho ao mais moço, e olhavam perplexos uns para os outros” (Gênesis 43:33).
José tinha todas as razões para desprezar e maltratar os irmãos, mas nunca demonstrou mágoa ou ressentimento contra eles. Na verdade, ele não tinha noção do que Deus estava fazendo, mas sempre manteve tranquilidade em cada etapa do processo, até chegar ao governo do Egito. Deus age para cumprir Seus propósitos em nossa vida, sem nos dar conhecimento de como isso vai acontecer.
Aqueles homens curvados diante do governador, humilhando-se e pedindo favores, nem de longe sabiam que era o sonho de José se cumprindo. E ao reconhecerem o homem de quem estavam dependendo para comer, acontece o fato mais lindo. Doze homens se abraçando, beijando e chorando. Os irmãos pedindo perdão, chorando de arrependimento e culpa e o beijo de José, o beijo do perdão. Aquele beijo era a restauração do relacionamento da família, a alegria do velho pai e o reconhecimento da mão de Deus cumprindo Suas promessas.
Não permita que as mágoas destruam sua vida e entulhem sua mente e coração. Libere o perdão, ainda que o ofensor não o peça. Se você causou mágoa a alguém, corra ao seu encontro com humildade e peça-lhe perdão. Restaure seu relacionamento com Deus e com o próximo.

Amilton Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário