14 de novembro de 2015

Criacionismo

Ele criou
O embate entre criacionismo e evolucionismo remete ao velho conflito do bem contra o mal
A afirmação de que Deus criou os céus e a Terra tem causado muita crítica, indiferença e ceticismo. Recentemente, a ex-ministra do meio ambiente, Marina Silva, comprou essa briga ao se declarar favorável ao ensino do criacionismo nas escolas. Este é apenas um exemplo: não é a primeira vez que o assunto da criação levanta uma avalanche de expressões de desafeto.
A compreensão dessas discórdias está no conflito entre o bem e o mal. Ao apresentar o evolucionismo como verdade, Satanás procura derrubar muitos dos pilares que fundamentam a fé cristã, como o sábado. Se o ser humano e a Terra vieram à existência por processo evolutivo, não houve uma semana de criação e, conseqüentemente, nunca existiu o sábado como o sétimo dia da criação. Na seqüência, os dez mandamentos da lei de Deus perdem toda a sua veracidade.
A evolução também exclui o surgimento do mal, do próprio Satanás e seus anjos que se rebelaram contra Deus no Céu. Com isso, a Bíblia não teria significado nem relevância para o homem: qual seria, afinal, a necessidade do plano da redenção e da volta de Jesus?
Ellen White nos alerta: “Os maiores espíritos, se não são guiados pela Palavra de Deus em sua pesquisa, desencaminham-se em suas tentativas de traçar as relações entre a ciência e a revelação. Visto acharem-se o Criador e Suas obras tão além de sua compreensão que são incapazes de explicá-los pelas leis naturais, consideram a história bíblica como indigna de confiança. Os que duvidam da exatidão dos registros bíblicos serão levados a um passo mais, e duvidarão da existência de Deus; e então, tendo perdido sua âncora, são abandonados a baterem de um lado para outro nas rochas da incredulidade” (Patriarcas e Profetas, p. 113).
Ouça o conselho do apóstolo Paulo a Timóteo: “Mantenha a fé e a boa consciência porque alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé” (1Tm 1:19). “Pode ser inofensivo pesquisar além do que a Palavra de Deus revelou, se nossas teorias não contradizem fatos encontrados nas Escrituras; mas aqueles que deixam de lado a Palavra de Deus e procuram explicar Suas obras criadas com base em princípios científicos estão vagando sem mapa nem bússola em um oceano desconhecido” (Patriarcas e Profetas, p. 113).
A explicação mais segura para as origens do mundo é a que está na Bíblia: Deus é o Criador. Em Seus planos estava a idealização de um lugar onde os seres humanos pudessem ter o habitat ideal para crescer e se desenvolver. “Pai e Filho empenharam-Se na grandiosa, poderosa obra que tinham planejado – a criação do mundo. A Terra saiu das mãos de seu Criador extraordinariamente bela” (História da Redenção, p. 20).

Areli Barbosa
Líder de jovens da Divisão Sul Americana
areli.barbosa@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário