Espírito pacificador

“O cobiçoso levanta contendas, mas o que confia no Senhor prosperará” (Provérbios 28:25).
Cada governo tem seu exército, sua polícia, juízes, tribunais e sistema penal. A história do mundo é repleta de guerras e agressões, e o noticiário diário constantemente nos apresenta relatos de crimes.
Por quê? Por que precisamos viver em um mundo de guerra e crime?
A resposta é simples – por causa do pecado. Por trás de todos os problemas humanos, quer entre indivíduos ou entre nações, está a característica pecaminosa da cobiça, ganância, egoísmo e egocentrismo.
Não podemos nem começar a entender os problemas de nosso mundo senão quando conhecermos a doutrina bíblica do pecado. É o pecado e seu sórdido resultado que tornam tão difícil manter a paz no mundo. Foi o pecado que levou ao fracasso todos os importantes planos de paz que ocuparam as galerias da história diplomática.
Os problemas básicos de nosso mundo não são políticos, econômicos ou sociais. Não! O verdadeiro problema é a atitude das nações e dos indivíduos, de colocarem a vontade e os desejos pessoais acima de tudo.
Como resultado, se eu sou grande e forte o suficiente, levarei o que quiser, imediatamente, pela força. É lógico que se eu não for forte o suficiente para tanto, eu o farei quando você não estiver olhando.
Para a paz algum dia reger o mundo, serão necessários novos corações, e novas mentes e atitudes.
Conta-se a história de dois homens religiosos devotos que viveram em paz isolada um com o outro por muitos anos em um esconderijo na montanha. Certo dia, eles decidiram quebrar a monotonia, agindo como o restante do mundo.
Isso envolvia discussão. Para começar, um deles sugeriu que o outro pegasse uma pedra e colocasse entre os dois, alegando que ela era somente sua. Disposto a concordar com seu amigo, o segundo disse: “Esta pedra é minha”.
Demorando-se a refletir sobre os muitos anos de amizade, o outro homem concluiu: “Bem, irmão, se ela é sua, conserve-a.” E assim terminou a discussão.
Esse é o espírito pacificador tão necessário em nosso mundo cheio de contendas.

George R. Knight

Comentários