21 de novembro de 2015

O jugo de Jeremias

"Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-Me". (Lc 9:23).

Como vimos, os profetas de Deus pregavam não apenas pelas palavras, mas também por meio de lições objetivas. Às vezes tinham que representar na prática as próprias mensagens; era outra forma de fazer com que as pessoas as entendessem.

Assim, Jeremias foi chamado a "representar" as palavras que iria dizer. Primeiro, teve que usar um jugo de madeira. "Assim me ordenou o Senhor: 'Faça para você um jugo com cordas e madeira e ponha-o sobre o pescoço'" (Jr 27:2, NVI). Isso teria sido uma tarefa incômoda, mesmo na melhor das circunstâncias; nesse caso, tornou-se mais difícil, porque um falso profeta questionou o que Jeremias disse. Nesta semana poderemos ver, de maneira dramática, a verdade e o erro lutando pelo coração e pela mente das pessoas. Além disso, veremos como uma mensagem de graça também pode ser uma falsa mensagem.

Jeremias também foi proibido de lamentar quando outros estivessem lamentando, e de se alegrar quando outros estivessem se alegrando. Nesses casos, o objetivo era ajudar as pessoas a compreender o que aconteceria por causa dos seus pecados e, assim, se arrepender e obedecer, diminuindo as tristes consequências de seus atos pecaminosos.


 
Uma vida solitária

Não dúvida de que Jeremias não teve uma vida cheia de facilidades. Ele seria o primeiro a admitir isso. Porém, as coisas foram ainda mais difíceis do que poderíamos ter imaginado.


1. Leia Jeremias 16:1 A 13. Qual foi a mensagem do Senhor ao profeta? Embora fosse uma mensagem dura, de que forma ela seria uma bênção para ele? Compare com Oséias 1:1 A 3

Em contraste com Oséias, que devia se casar com uma prostituta para mostrar o quanto o relacionamento entre o Senhor e Israel se havia corrompido, devido à prostituição espiritual da nação, Jeremias devia se abster totalmente de se casar e ter filhos. Isso era algo raro e drástico para aquele tempo e aquela cultura. Em Israel, formar uma família era muito importante para todo jovem. Além do amor e do companheirismo entre os cônjuges, também era importante dar continuidade ao nome da família. Por que Deus proibiu Jeremias de formar família? Para que sua própria vida fosse uma lição objetiva sobre o terrível tempo em que as famílias se dissolveriam e a dor da separação se tornaria um pesado fardo para os sobreviventes. A ausência da vida familiar de Jeremias seria uma constante advertência e lição para seus contemporâneos.

O destino solitário de Jeremias se estendeu também para outras áreas. Ele foi proibido de entrar numa casa em que houvesse luto. Isso simbolizaria a atitude do Senhor a respeito da relutância deles em responder aos Seus chamados para que se arrependessem e experimentassem um reavivamento.

Além dos momentos de luto, ele também não devia se unir às festas de alegria e celebração deles. Isso devia simbolizar o momento futuro em que os babilônios poriam fim a toda sua alegria e regozijo.

Dessa forma, seriam negados a Jeremias os laços humanos que se formam tanto no luto quanto na alegria. Sua vida e as tristezas que a acompanhariam deveriam ser lições objetivas. Se pelo menos a nação aprendesse com essas coisas!

Como esse relato nos ajuda a apreciar o apoio humano que gostamos de receber dos outros, ou que damos a eles? Embora esse apoio seja importante, temos aprendido a buscar o Senhor como nosso maior apoio?


 
O jugo de Jeremias

2. Leia Jeremias 27:1-18. Qual é a mensagem do Senhor para as pessoas? Por que, para muitos, essa mensagem pareceria uma traição?

O jugo que Jeremias tinha que colocar em seu corpo era um sinal inequívoco da humilhação que a nação sofria, por causa da ocupação realizada pelos exércitos inimigos. Em Deuteronômio 28:48 e em 1 Reis 12:4, a ideia de um jugo aparece como uma expressão de opressão. Jeremias tinha que experimentar fisicamente o que significava a invasão babilônica. O jugo de madeira que ele colocou nos braços e nos ombros tinha um metro e meio de comprimento e oito centímetros de espessura. A essência de sua mensagem era que, se um país se revoltasse contra Babilônia, o Senhor consideraria que esse país havia se revoltado contra Ele. Como resultado, esses rebeldes sofreriam. Embora haja certa ambiguidade nos textos, parece que Jeremias não teve que fazer um jugo para si mesmo, mas também para os enviados de países estrangeiros que tinham ido a Jerusalém e estavam tramando contra Nabucodonosor, apesar das advertências do Senhor para que não fizessem isso. A reação natural seria lutar contra um invasor estrangeiro, e era isso que eles queriam fazer. Sem dúvida, portanto, as palavras de Jeremias não foram bem recebidas.

3. O que é especialmente importante na mensagem de Jeremias 27:5? Ver também Daniel 4:25

Nesse texto, e ao longo de toda a Bíblia, o Criador é soberano sobre toda a Terra. Mesmo em meio ao que parecia ser um caos e uma catástrofe (a invasão e o domínio por parte de uma nação pagã), o poder e a autoridade de Deus foram revelados, e isso devia ser uma fonte de esperança para qualquer


um que fizesse parte do remanescente fiel.

Uma coisa é estar sob um jugo de escravidão. Outra coisa é colocar uma pessoa sob um jugo injusto. Você fez isso? O que deve fazer para remover esse jugo?


 
Guerra dos profetas

Uma notícia ruim é uma notícia ruim, e muitas vezes não queremos ouvi-la, ou então queremos descartá-la, racionalizando-a. Esse foi o caso em Judá, com Jeremias e com o jugo que ele carregava, que constituía uma mensagem inequívoca de advertência ao povo. "O assombro do concílio de nações reunido não teve limites quando Jeremias, levando o jugo da sujeição em torno de seu pescoço, fez-lhes conhecida a vontade de Deus" (Profetas e Reis, p. 444).

4. Leia Jeremias 28:1-9. Imagine que você habitasse na Judéia e presenciasse o duelo dos profetas. Em quem acreditaria? Em quem desejaria acreditar? Teria razão para acreditar em Hananias?

Jeremias ergueu a voz em nome de Deus, e Hananias também falou em nome de Deus. Mas quem estava falando como porta-voz de Deus? Não poderiam ser os dois! Para nós, hoje, a resposta é óbvia. Para alguém daquela época pode ter sido mais difícil, embora Jeremias tivesse apresentado um argumento convincente nos versos 8 e 9: os profetas do passado pregaram a mesma mensagem que eu estou pregando, ou seja, de juízo e destruição. "Na presença dos sacerdotes e do povo, Jeremias suplicou fervorosamente que se submetessem ao rei de Babilônia pelo tempo que o Senhor havia especificado. Ele mencionou aos homens de Judá as profecias de Oséias, Habacuque, Sofonias e outros, cujas mensagens de reprovação e advertência haviam sido semelhantes às dele. Referiu-lhes os eventos ocorridos em cumprimento das profecias de retribuição pelos pecados dos quais não houve arrependimento. No passado os juízos de Deus tinham sido derramados sobre os impenitentes em exato cumprimento de Seu propósito conforme revelado por meio de Seus mensageiros" (Profetas e Reis, p. 445).

Em resumo, assim como hoje devemos aprender lições da história sagrada, Jeremias estava procurando fazer com que as pessoas, em sua época, fizessem a mesma coisa: aprender com o passado, para não cometer os mesmos erros que seus antepassados haviam cometido. Se antes era difícil que o povo ouvisse, então, com o "ministério" de Hananias se opondo ao dele, a tarefa de Jeremias se tornaria muito mais difícil.

Hananias, cujo nome significa "Deus tem sido gracioso", parecia estar apresentando uma mensagem de graça, perdão e salvação. Que lições devemos aprender com esse falso pregador da graça?


 
O jugo de ferro

O embate entre os profetas não foi de palavras, mas também de atos. Em obediência à ordem de Deus, Jeremias colocou o jugo de madeira sobre o pescoço; esse era um mbolo claro da mensagem que ele havia apresentado ao povo.


5. Qual era o simbolismo profético do ato de Hananias? Jr 28:1-11

Imagine que alguém tivesse ouvido Jesus amaldiçoando a figueira, soubesse o que tinha acontecido (Mc 11:13, 19-21), e depois plantasse uma nova figueira no mesmo lugar, para tentar refutar a profecia que Jesus havia feito. Foi isso que Hananias fez com Jeremias e com a profecia apresentada no símbolo do jugo ao redor do seu pescoço. Seu gesto foi um ato de aberto desafio ao que Jeremias havia dito.

Note, igualmente, a reação de Jeremias. A passagem não registra nada que ele tenha dito logo depois que o jugo, foi quebrado. Ele simplesmente virou as costas e saiu. Se a história terminasse aqui, teria parecido que o profeta se havia retirado por ter sido derrotado.

6. Leia Jeremias 28:12-14. O que aconteceu em seguida? Qual foi a nova mensagem de Jeremias?

A resposta de Jeremias não foi vingativa, do tipo: "Você fez isso comigo, então vou fazer isso com você." Não! Foi outra clara mensagem do Senhor, porém ainda mais forte que a anterior. Alguém teria sido capaz de quebrar um jugo de madeira, mas quem conseguiria quebrar um jugo de ferro? Em certo sentido, o que o Senhor disse para eles foi que, por sua obstinação e recusa em obedecer, estavam apenas tornando piores as coisas. "Se vocês achavam que um jugo de madeira era ruim, experimentem um de ferro."

Você já teve que aprender, de forma dolorosa, que a obstinação torna mais difíceis as coisas? Por que é melhor se submeter imediatamente ao Senhor, em vez de lutar contra Ele?


 
Confiando em mentiras

Escute, Hananias! O Senhor não o enviou, mas assim mesmo você persuadiu esta nação a confiar em mentiras" (Jr 28:15, NVI).

Logo veio a resposta sobre quem estava certo, entre Jeremias e Hananias. Jeremias 28:16, 17 narra o fim do falso profeta, que foi exatamente o que o verdadeiro disse que seria.

Embora Hananias tenha morrido, já havia causado dano à nação. Suas obras, em certo sentido, o seguiram. Ele fez o povo "confiar em mentiras". O verbo hebraico é hifil, uma forma causativa do verbo "confiar". Ele fez o povo confiar em mentiras, não no sentido de forçá-los fisicamente a fazer isso, mas por meio do engano. Embora o Senhor não o tivesse enviado, ele falou em nome do Senhor, o que tinha um peso muito grande em Judá. Além disso, a mensagem de "graça", "livramento" e "redenção" dada por Hananias certamente era algo que o povo desejava ouvir, considerando a grande ameaça que Babilônia representava para a nação. Porém, aquele era um falso "evangelho", uma falsa mensagem de salvação que o Senhor não havia concedido ao povo. Portanto, num tempo em que as pessoas precisavam ouvir as palavras de Jeremias e a mensagem de redenção que ele trazia, deram ouvidos às palavras de Hananias, e isso tornou a miséria delas ainda pior.

7. O que os versos seguintes têm em comum com Jeremias 28:15?

2Tim 4:3, 4

2Ts 2:10-2


As coisas não são diferentes hoje: estamos num grande conflito, numa batalha pela posse do coração e da mente de bilhões de pessoas no mundo. Satanás está trabalhando intensamente para levar o maior número possível de pessoas a "confiar em mentiras", e essas mentiras podem vir em muitos disfarces e formas, embora sejam sempre mentiras. Pelo fato de Jesus ter dito "Eu Sou o caminho, a verdade e a vida" (Jo 14:6), as mentiras de Satanás podem ser a respeito de qualquer coisa, desde que não contenham a verdade assim como é em Jesus.

Quais são algumas mentiras que prevalecem em sua cultura hoje? Por que o apego a Jesus e à Sua Palavra constitui a única proteção contra elas?


 
Estudo adicional

As pessoas querem acreditar somente em boas notícias. Nos dias de Jeremias, elas preferiam acreditar na mensagem de Hananias. Hoje acontece a mesma coisa. Muitos dizem que nosso mundo vai melhorar. Porém, até o ateu Terry Eagleton percebe que essa ideia é absurda: "Se houve um mito ilusório e uma superstição crédula, é a crença liberal e racionalista de que, à parte de algumas pequenas dificuldades, estamos avançando firmemente rumo a um mundo melhor. Esse frágil triunfalismo é um legado da época clássica do liberalismo, na qual a estrela da classe média estava em ascendência. Hoje, ele se encontra lado a lado com o cinismo, ceticismo ou niilismo nos quais grande parte daquela honrosa linhagem se degenerou" (Reason, Faith and Revolution: Reflections on the God Debate [Razão, e Revolução: Reflexões a Respeito do Debate sobre Deus], p. 70, edição para Kindle). Embora alguns aspectos da vida tenham melhorado, nosso mundo oferece pouca esperança e consolo, especialmente a longo prazo. Qualquer esperança real tem que estar em algo divino, sobrenatural. Sem isso, o que temos, a não ser simplesmente mais Hananias, com suas mentiras?

Perguntas para reflexão

1. O futuro parece esperançoso e promissor, ou assustador, perigoso e cheio de incertezas?

2. A mensagem de Jeremias, como vimos no contexto das mentiras de Hananias, era olhar para o passado, para a história, e aprender com eles. Ellen G. White escreveu: "Nada temos a temer quanto ao futuro, a menos que nos esqueçamos da maneira pela qual o Senhor nos tem guiado e dos ensinos que nos ministrou em nossa história passada" (Life Sketches, p. 196). O que ela quis dizer com isso? O que aconteceu em nosso passado, e o que Deus Nos ensinou nele, que pode nos ajudar a estar preparados para o que virá no futuro?

3. Hananias deu uma falsa mensagem de graça. Quais são as falsas mensagens de graça hoje, contra as quais precisamos nos guardar?


Respostas sugestivas: 1. Jeremias não devia se casar nem ter filhos naquela terra; não devia entrar em casas em que houvesse luto nem em casas em que houvesse banquetes, pois não devia criar laços ali. Essa mensagem acabaria sendo uma bênção para ele porque, numa época de calamidade como a que estava sendo predita, contrair matrimônio só traria mais sofrimento ao profeta, que talvez tivesse que se separar de seus familiares ou vê-los morrer. 2. Jeremias disse a Judá, bem como a outras nações, que deviam se submeter ao jugo de Babilônia, e que se alguma nação não se sujeitasse a Nabucodonosor, por meio dele Deus a destruiria. Dizer que o pais devia se render em vez de lutar certamente pareceria uma traição. 3. Deus é o dono de toda a Terra e domina sobre os reinos dos homens. 4. A tentação para crer na mentira foi e ainda é muito forte. Embora a tendência fosse acreditar em Hananias, a mensagem de Jeremias era a verdadeira, porque ninguém proferiria uma mensagem impopular, que desagradasse as pessoas, se não tivesse forte razão para tanto. Além disso,


os profetas do passado haviam pregado essa mensagem que ele estava pregando. 5. Ele estava desafiando o que Jeremias havia dito 6. Deus ordenou que Jeremias fizesse um jugo de ferro e fosse dizer a Hananias que ele havia quebrado um jugo de madeira, mas que Deus poria um jugo de ferro sobre as nações. 7. Jeremias disse que Hananias fez com que o povo confiasse em mentiras. Os outros textos falam sobre pessoas que se recusariam a dar ouvidos à verdade e se entregariam às fábulas; falam também de pessoas que não dão crédito à verdade, mas se deleitam com a injustiça.

CPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário