A ciência confirma o relato bíblico da criação: Mistério da origem da água na Terra foi desvendado

"Em vez de chegar mais tarde por impacto de um cometa, as águas da Terra já devem ter existido desde o nascimento do nosso planeta.

A água que torna a Terra um majestoso mármore azul estava aqui desde o momento do nascimento de nosso planeta, de acordo com um novo estudo de meteoritos antigos, sugerido por cientistas.
"No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismoe o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas."  Gênesis 1:1-2

De onde é que os oceanos vêm? 

O estudo liderado por Adam Sarafian do Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI) em Woods Hole, Massachusetts, descobriu que os nossos mares podem ter aparecido muito mais cedo em nosso planeta do que se pensava anteriormente.

O estudo volta para trás o relógio sobre a origem da água da Terra em centenas de milhões de anos, para cerca de 4,6 bilhões de anos atrás, quando todos os planetas do sistema solar interior ainda estavam se formando.

Os cientistas suspeitavam que o nosso planeta se formou de forma seca, com impactos de alta energia criando uma superfície derretida. A água viria muito mais tarde - foi o pensamento, graças a colisões com cometas e asteroides cheios de água (molhados).

"Algumas pessoas têm argumentado que quaisquer moléculas de água que estavam presentes quando os planetas ainda estavam se formando teriam evaporado ou sido sopradas para o espaço", disse o coautor do estudo Horst Marschall , geólogo WHOI.

Por essa razão, segundo ele, os cientistas pensavam que "as águas de superfície, tal como existe em nosso planeta hoje, devem ter vindo muito, muito mais tarde, centenas de milhões de anos mais tarde."

Origens antigas

Mas ninguém tinha certeza. Para fechar o momento exato da chegada da água na Terra, a equipe de estudo voltou-se para a análise de meteoritos, que se pensa terem se formado em diferentes momentos da história do sistema solar.

Primeiro, eles olharam para meteoritos chamados de condritos carbonáceos, que foram datados como os mais antigos conhecidos. Eles provavelmente se formaram no mesmo período que o Sol, antes dos primeiros planetas.

Em seguida, eles examinaram os meteoritos que se originaram (conforme se pensa) a partir do grande asteroide Vesta, que se formou na mesma região como a Terra, cerca de 14 milhões de anos depois do nascimento do sistema solar.

"Esses meteoritos primitivos se assemelham em massa à composição do sistema solar", disse Sune Nielsen do WHOI, co-autor do estudo. "Eles possuem muita água, e por isso, foram selecionados antes como candidatos para a origem da água da Terra."

O asteroide de água Vestal 

Pólo sul do asteroide Vesta: foto da sonda Dawn da NASA.
Medições da equipe mostraram que os meteoritos provenientes de Vesta tem a mesma química que os condritos carbonáceos e rochas encontradas na Terra. Isto significa que os condritos carbonáceos são os mais propensos a fonte comum de água.

"O estudo mostra que a água da Terra provavelmente se expandiu ao mesmo tempo com a pedra", disse Marschall.

"O planeta foi formado como um planeta molhado com água sobre a superfície."

Embora os autores não descartem a possibilidade de que parte da água que cobre 70% da Terra hoje possa ter chegado mais tarde, suas descobertas sugerem que havia água suficiente aqui para a vida ter começado mais cedo do que se pensava.

"Sabendo que a água chegou mais cedo para o interior do sistema solar, isso também significa que os outros planetas interiores poderiam ter sido molhados antigamente e ter evoluído algum tipo de vida antes de se tornarem os ambientes agressivos que são hoje", explica Nielsen.

fonte: matéria publicada na National Geographic;
Artigo científico publicado na revista de periódicos científicos Science


Nota RC: Encontramos também inúmeras outras passagens a respeito do poder de Deus sobre as águas, mas não convém citar aqui para não aumentar ainda mais o artigo. Por isso, leia a Bíblia!

Em outro artigo, mostramos que a ciência também confirmou o que já era relatado no texto bíblico a respeito das "Águas do Abismo", citadas na história do Dilúvio Universal. Ou seja, confirmando que teria água suficiente para uma grande inundação como explicitada na Bíblia.

Veja: Terra pode ter Oceano subterrâneo três vezes maior que na superfície, aponta nova pesquisa (A  Baixo)

Pouco a pouco a ciência está comprovando o que nós cristãos já sabíamos, mas que o mundo inteiro precisa entender: Deus é o Criador de tudo, o Arquiteto Supremo do Universo. Amém!


"Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis."  Romanos 1:19-20


http://www.raciociniocristao.com.br

Terra pode ter Oceano subterrâneo três vezes maior que na superfície, aponta nova pesquisa

Depois de décadas de pesquisas, cientistas descobriram que um vasto reservatório de água, o suficiente para encher mais de 3 vezes os oceanos da Terra - pode estar preso a centenas de quilômetros abaixo da superfície, podendo transformar a nossa compreensão de como o planeta foi formado. [1], [2]



Raciocínio: Outra pesquisa publicada na mídia em 2013 (e que nós compartilhamos aqui) já apontava a existência de um grande oceano preso na crosta terrestre. Agora esta pesquisa vem para colocar mais ênfase a esta questão.

Logicamente que não poderíamos deixar de raciocinar sobre o que a Bíblia já afirmava sobre a formação e alteração do planeta Terra (alteração aqui entende-se como Dilúvio). Em Gênesis 2:5-6 diz que havia água abaixo da terra que subia para superfície em forma de vapor e cobria toda a extensão da terra, ou seja, era muita água.
Mais à frente, em Gênesis 7:10-11 diz que vieram sobre a terra as águas do dilúvio e que no mesmo dia romperam-se todas as fontes do grande abismo.
Ou seja, além de toda água em forma de vapor que já estaria presente na Terra, também vieram as águas presas no abismo (que significa lugar muito profundo). É engraçado como o relato do dilúvio bate com o que diz a pesquisa.

Outra coisa muito importante que os céticos usam para desmerecer o texto bíblico é afirmar que mesmo que toda água presente voltasse a formar um dilúvio, não seria suficiente para cobrir as montanhas mais altas...

Ora, o texto bíblico de Gênesis 1:9 diz claramente tanto em nossa versão traduzida quanto no original hebraico que "Deus chamou a porção seca de terra", vejam que está no singular "porção seca" e não "porções secas", ou seja, havia apenas um grande continente e este continente (que hoje chamados de Pangeia) era uma terra com elevações pequenas (mesmo os maiores cumes seriam muito baixos se comparados aos de hoje), já que o significado para a palavra Éden é "Planície ou Estepe".

Atualização

No dia 16 de novembro de 2015 foi liberado um estudo no qual cientistas criaram um mapa quantificando pela primeira vez a água escondida debaixo da terra, nos continentes. Ou seja, o planeta possui mais água do que se imaginava. Somando-se ao achado anterior, agora sabemos que toda água que vemos na superfície, tanto nos mares quanto em rios, represas e lagos, são uma pequena parcela de toda água existente em nosso planeta. [3]
O que você acha?

Seriam estas novas pesquisas, evidências para o Dilúvio?

Não estamos dizendo que sim, mas é bom vermos que os relatos bíblicos coincidem com as informações científicas atuais.


Referências:

[1] The Guardian: 
Earth may have underground 'ocean' three times that on surface   
[2] Science: 
Dehydration melting at the top of the lower mantle
[3] Nature: 
The global volume and distribution of modern groundwater


http://www.raciociniocristao.com.br/

Comentários