Casamento: COMO EVITAR BRIGAS



Se você e seu parceiro(a) vivem discutindo, até mesmo por banalidades, não se preocupe, você não está sozinho. Muitos casais enfrentam esse problema no casamento – as divergências.

Há vários fatores que podem levar às discussões os principais estão listados a seguir:
1.Personalidade
2.Competição
3.Controle
4.Domínio
5.Insegurança

Personalidade – este é um fator muito comum; geralmente pessoas passivas e ativas se unem em casamento e se complementam. Mas quando duas pessoas de personalidade ativa se unem... os problemas surgem. A questão aqui é quem irá ceder; quem irá se submeter a opinião do outro. Mas aqui está a chave para a solução dos problemas. O casal deve se sentar para conversar e colocar o relacionamento como prioridade. A seguir estabelecer áreas em que a opinião de um vai determinar as coisas e outras áreas em que o outro irá ditar as regras. Por exemplo, finanças devem ser divididas proporcionalmente; nas questões de decoração e artigos para a casa a mulher determina (inclusive TV, som, PCs etc. Mas em questões de compra de terrenos, carros, viagens, investimentos etc, o marido determina as coisas. Enfim, na conversa o casal deve ceder áreas em que o outro possa agir, opinar e determinar coisas. Os atritos de personalidade ocorrem porque nem todos tem personalidade passiva que concorda com a decisão soberana do outro.

Competição – salários são o principal fator de competição entre casais que tem profissão e empregos estáveis. Daí vem os gastos e investimentos que muitas vezes são dissonantes. A chave é a divisão das despesas de forma eqüitativa (quem ganha mais, paga maior parte da despesa). Mas também as questões acadêmicas influenciam aqui. Atualmente muitas mulheres estão com mestrado e doutorado enquanto alguns parceiros apenas possuem uma graduação. As divergências surgem, mas a regra deve ser a relação como prioridade. Na cama ou na cozinha não existe Doutora ou Doutor.

Controle – casamento não é sinônimo de controlar a vida do outro, pelo contrário – um serve o outro; um faz o outro feliz. Mas a tendência é que um dos cônjuges domine o outro, ou que um dos dois determine tudo sobre o outro deve comer, beber, pensar etc. Aqui deve ocorrer algo que raramente acontece; a pessoa dominada deve tomar coragem e falar de seus direitos e vontades. O dominado deve demonstrar sua insatisfação e exigir respeito e igualdades. Mas isso deve ser feito sem discussão, no diálogo. Se houver provocação e briga da parte dominadora, a outra parte deve demonstrar pela sua paciência e auto controle o erro do seu parceiro(a).

Insegurança – quando um cônjuge é inseguro, geralmente ele procura através da discussão e brigas forçar um comportamento da outra parte. A insegurança pode ocorrer por ciúmes, sentimento de inferioridade, baixa-estima e dezenas de outros fatores. Insegurança se trata com palavras de afirmação (elogios e reconhecimento).

Sendo assim, há muito mais motivo para não se brigar. Vocês dois estão juntos porque resolveram ser felizes juntos. Ninguém que case, deseja ser feliz sozinho.

Ivair Augusto

Comentários