Deuses modernos

“Agora, pois, temei ao Senhor e servi-O com integridade e com fidelidade; deitar fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do Eufrates e no Egito e servi ao Senhor” (Josué 24:14).
Josué estava com cento e dez anos de idade, quando exortou o povo de Israel a temer ao Senhor e deitar fora os deuses pagãos. Foi seu discurso de despedida. Ele mesmo já  havia tomado uma decisão categórica: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24:15). Antes, porém, ele fez um veemente apelo ao povo: “Escolhei, hoje, a quem sirvais”.
No mundo de hoje, o mesmo conselho é dirigido ao homem: temer ao Deus verdadeiro, ou inclinar-se perante os deuses criados pelo materialismo. O homem sente-se, por um lado, inebriado pela visão encantadora deste mundo, e, por outro, estimulado pelo Espírito Santo a olhar para o “Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tg 1:17). O homem de hoje não tem desculpa para crer que o único Deus do Universo é a matéria e tudo o mais que com ela se relacione. Paulo foi claro ao dizer que “os atributos invisíveis de Deus, assim o Seu eterno poder, como também a Sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Rm 1:20).
Não adoramos deuses de ouro, prata, barro ou madeira, como representação de seres divinos. Estamos mais do que convencidos de que esses ídolos não falam, não ouvem, não andam, não apalpam, não são capazes de satisfazer nossos anseios. Quando, porém, alguma coisa deste mundo nos atrai mais do que o reino do Céu, então temos um ídolo diante de nós. Tornamo-nos idólatras. Passamos a adorar nosso conhecimento, nossa posição, nossas opiniões, nossos prazeres prediletos, nossos bens e o conforto que nos cerca. Mas devemos cuidar para que os cuidados deste mundo não sufoquem a plantinha do temor de Deus.
Jesus, o Médico dos médicos, prescreveu uma vacina eficaz contra o materialismo: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33).

Rubens Lessa

Comentários