31 de dezembro de 2015

Dias melhores virão


“A terra cambaleará como um bêbado e balanceará como rede de dormir; a sua transgressão pesa sobre ela, ela cairá e jamais se levantará” (Isaías 24:20).
Não sabemos o que o novo ano nos trará. A vida pode mudar num abrir e fechar de olhos, através de um acidente, doença, perda de um ente querido, perda do emprego ou mesmo da liberdade. A vida neste mundo é muito frágil.
Todos gostaríamos que as coisas melhorassem. Que tivéssemos mais recursos, mais tempo, mais saúde, mais lazer, mais paz. Mas, se cremos na Palavra profética, não há como ser otimista quanto ao futuro neste mundo. Relembremos algumas declarações:
“Está-se formando uma tempestade, prestes a irromper sobre a Terra; e, quando Deus ordenar a Seus anjos que soltem os ventos, haverá uma cena de lutas que nenhuma pena poderá descrever” (Educação, p.  180).
“Os juízos de Deus estão na Terra. As guerras e rumores de guerras, as destruições pelo fogo e inundações dizem claramente que o tempo de angústia, que aumentará até o fim, está às portas” (Beneficência Social, p. 136).
Quando os discípulos se aproximaram de Jesus e Lhe perguntaram que sinal haveria da Sua vinda e da consumação do século (Mt 24:3), Jesus procurou prepara-los para as tribulações vindouras (Lc 21:7-12). Mas explicou o motivo de Deus permitir tais sofrimentos, dizendo: “E isto vos acontecerá para que deis testemunho” (v. 13). Ele não ocultou que os tempos seriam difíceis, mas deu significado às provações. Quando os discípulos fossem levados perante as autoridades, eles teriam a oportunidade única de testemunhar perante reis e governadores e apresentar-lhes a razão de sua esperança. Deus não impediria que sofressem, mas usaria suas experiências para levar aos outros a mesma esperança de salvação que eles possuíam.
Deus está guiando Seu povo, e Ele tem um propósito para nós, mesmo nas provações. Ele pode transformar o mal em bem e as tragédias e triunfos. A certeza que Ele nos dá é  que “não se perderá um fio  de cabelo [de nossa] cabeça” (Lc 21:18), isto é, ainda que nos lancem na prisão e matem alguns de nós, o nosso bem-estar eterno não será prejudicado.
Dias piores virão. Dias melhores também.

RMS

Nenhum comentário:

Postar um comentário