Livre do cativeiro

Vocês Me procurarão e Me acharão quando Me procurarem de todo o coração. Jeremias 29:13 NVI

A letra de um hino diz: “Vou contar-vos o que penso de meu Mestre, como dEle recebi a luz e a paz; Ele mudou-me, eu bem sei, completamente; só Jesus a minha alma satisfaz.” Se você é cristã, reconhece que essas palavras exemplificam o relacionamento que uma pessoa convertida tem com Deus. A conversão, porém, não é uma experiência instantânea. Saulo não se tornou Paulo de repente, na estrada de Damasco. Os discípulos tiveram que estar na presença de Jesus antes de poder compreender e receber o Espírito Santo.

Não sei dizer quando senti a primeira inclinação religiosa na vida, mas me lembro da minha primeira comunhão, quando tinha 6 anos de idade. Eu estava toda vestida de branco: usava vestido e véu brancos, meias e sapatos brancos e levava um rosário e uma Bíblia brancos. Lembro-me de ter sentido como se estivesse me casando com Jesus. Sabia eu realmente quem era Jesus? Infelizmente, não! O amor de Jesus nunca me foi ensinado; eu ouvia só condenação. Acreditava que precisava ser uma boa menina e não pecar – tudo por minha conta.

Não entendia como o pecado podia levar alguém, numa espiral, para as profundezas do desespero. Mas me lembro, sim, de quando me tornei cativa de um pecado particular. Quando eu tinha 21 anos, fiz algo que me removeu do status de “boa menina”. Acreditei que estava manchada para o resto da vida. Envergonhada demais, virei as costas para Jesus e continuei procurando o amor em todos os lugares errados. O Espírito Santo precisou me conduzir a um ponto em que eu estivesse pronta para aceitar a verdade do amor de Deus.
Eu precisava ser ensinada a respeito de Sua compaixão, Seu perdão, Sua misericórdia e graça. Eu necessitava de conversão!

Se você me perguntasse quando assumi a minha posição ao lado de Jesus e fui batizada, posso dizer onde, quando e como. Mas, se você me perguntasse quando me converti e me tornei cristã, não sei expressar em que momento ocorreu. Só posso testemunhar que em algum ponto, ao longo da minha jornada na vida, eu O busquei e O encontrei mediante o poder do Espírito Santo e, ao fazê-lo, encontrei paz. Encontrei perdão. Encontrei cura. Encontrei o verdadeiro amor. Sim! Saí do cativeiro e entrei na gloriosa luz de Jesus Cristo. A boa notícia é que você também pode! Vamos cantar juntas! (Evelyn Gertrude Greenwade Boltwood in Meditação da Mulher

Comentários