IMPLORO A TUA GRAÇA

Imploro de todo coração a tua graça; compadece-te de mim, segundo a tua palavra. Sal. 119:58

O infarto foi quase fatal. No dia 25 de fevereiro de 1990, o coração de Terry Shiavo parou apenas por um instante, o suficiente para que o sangue deixasse de irrigar o cérebro. A conseqüência foi um terrível dano cerebral. Na época, Terry tinha apenas 26 anos. No dia que escrevi esta meditação ela faleceu após quinze anos de sobrevivência em estado vegetativo. Seu caso deu volta ao mundo por causa de uma guerra judicial entre o esposo e os pais de Terry.
Um instante. Foi apenas um instante que o sangue deixou de irrigar o cérebro. Quando a oxigenação do cérebro retornou, já era tarde. A partir daquele instante a vida de Terry carregou conseqüências funestas. Era uma vida “sem vida” e que deu origem a polêmica sobre se valia ou não a pena deixar um ser humano viver nesse estado.
Como o cérebro precisa de oxigênio, o ser humano precisa de Jesus. Por isso o Salmista exclama: “Imploro de todo coração a Tua graça.” Vivemos pela graça. Existimos pela graça e somos salvos unicamente pela graça.
Se a vida é um dom, nada fizemos para merecê-la. Um dom é um presente. Você não paga. Precisa apenas aceitá-lo.
Como age você diante de um presente? Geralmente o valor dele para você vai depender do sentimento que  tem pela pessoa que lhe oferece o presente. Qual é o tipo de relacionamento que você tem com Deus? É isso que vai determinar sua forma de  administrar o presente.
A vida é frágil. Hoje é, amanhã pode não ser mais. A única coisa que sustenta a vida é a graça maravilhosa de Deus. Separado de Deus já não vivemos, apenas sobrevivemos, às vezes em estado “vegetativo” esperando que chegue o dia em que o coração pare de bater.
Faça deste dia um dia de comunhão com a Pessoa Vida. Você não precisa deixar de lado suas atividades rotineiras. Mas encare os desafios que se apresentam hoje diante de você com a certeza de que não está só. Deus é sua constante força. Ele está ao seu lado apesar de que as circunstâncias adversas, tenham envolvido você como densas sombras  não lhe permitem enxergar nada. Clame: “Imploro de todo coração a tua graça; compadece-te de mim, segundo a tua palavra.”

Alejandro Bullón

Comentários