O CAMINHO

Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do Senhor. Sal 119:1

Extraviar-se é uma experiência traumática. Mais ainda se você não sabe que está extraviado e só descobre quando já é tarde e está longe do seu destino. Conhecer o caminho é indispensável. Este é o motivo porque se atualizam os mapas e se vende uma enorme quantidade de bússolas.
O salmista menciona hoje o “caminho”.  Ele diz que as pessoas bem-aventuradas,  felizes, em hebraico, são aquelas que encontraram o caminho e permanecem  “irrepreensíveis” nele.
Existe um caminho que conduz a felicidade. Se você o encontrou, chegará ao porto desejado. Quem não quer ser feliz? Por que nem todos alcançam a tão almejada felicidade? O texto de hoje afirma que não basta querer. É preciso encontrar o caminho.
Vivemos num mundo de muitos caminhos. De uma maneira ou outra, todos prometem levá-lo a felicidade. São caminhos, mentirosos, falsos e ilusórios. Talvez o levem ao encontro do prazer, do poder, da fama, e da riqueza, mas isso não é necessariamente felicidade.
Um dia os discípulos de Jesus lhe perguntaram: “Senhor, mostra-nos o caminho”. A resposta do mestre foi: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” Jesus é o único caminho que conduz a uma vida plena. Esta é a verdade mais contundente do universo. Quando você abre o coração a Jesus, abriu o coração a felicidade.
Abrir o coração a Jesus significa, andar no seu caminho.  Andando nele você aprenderá abrir o coração a vida e a lutar, vencer, e viver sem temor das adversidades deste mundo.
Existem pessoas que chegam ao fim da vida e descobrem com tristeza que, seguiram muitos caminhos, mas não O caminho.
“Já não tenho mais tempo para retornar”, disse-me outro dia um homem de idade avançada. A boa notícia de hoje é que nunca é tarde para dar meia volta. Jesus só precisa de um segundo para fazer tudo de novo.
Está você cansado de lutar? Nada parece dar certo até aqui? Lembre-se do conselho de hoje: “Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho. Que andam na lei do Senhor.”

Alejandro Bullón

Comentários