9 de março de 2016

Veja o quanto eu amo você! & O amor acabou?


Kahlil Gibran conta que uma velha canção árabe começa assim: “Só Deus e eu mesmo podemos saber o que se passa em meu coração.” – Cartas de Amor do Profeta, p. 25. Ele mesmo reconhece que, tão importante como Deus e ele saberem do que se passava em seu coração, era a pessoa amada também saber. Mas, como a pessoa amada saberá se ele não expressar? Por isso, é fundamental que, além de sentir, a pessoa que ama também aprenda a transmitir seu amor.
Li recentemente uma linda história de amor num devocional para casais (James e Shirley Dobson, Momentos com Deus, p. 16-18) narrada por Laura Jeanne Allen, sobre como seus avós, que foram casados por mais de meio século, expressavam diariamente o que sentiam um pelo outro. “Eles escreviam a palavra ‘SHMILY’ pela casa inteira, nos lugares mais estranhos. Assim que um deles descobria a palavra, tinha de escrevê-la em outro local.”
Ela afirma que não havia limites para os lugares em que a expressão aparecia. Eles escreviam “SHMILY” em pedaços de papel e os colocava nas latas de mantimentos que se encontravam na cozinha e na dispensa. Até mesmo dentro de bolos e pudins para que o outro os encontrasse enquanto se deliciava com essas saborosas sobremesas. Eles colocavam esses pedaços de papel no painel ou no banco do carro e, às vezes, pregados com fita adesiva no volante. Também colocavam dentro dos sapatos ou embaixo dos travesseiros. Escreviam com sua própria mão nas janelas da casa que se encontravam embaçada ou no espelho do banheiro, depois que alguém tomava banho e o mesmo ficava cheio de vapor. Isso se tornou um estilo de vida no casamento deles. Havia dedicação e constância. Eles aprenderam a falar do profundo amor que sentiam um pelo outro por meio de uma linda e significativa forma de expressão diária – SHMILY.
Laura conta que eles ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Beijavam-se quando se esbarravam na cozinha apertada. Gostavam de estar e de fazer várias coisas juntos, até mesmo palavras cruzadas. Eram gratos a Deus por terem a companhia um do outro. Várias vezes sua avó falou baixinho no seu ouvido sobre como admirava e achava seu avô um velho atraente, que parecia estar mais bonito a cada dia que passava. Então, ela concluía dizendo “que tinha sabido escolher bem.”
Apesar de toda a luz desse amor, havia uma nuvem de tristeza que insistia em pairar sobre a vida deles. Há dez anos, sua avó soube que tinha câncer no seio. Quando ele também soube, pegou em sua mão e nunca mais a soltou. Eles percorreram juntos todo esse íngreme caminho de sofrimentos físico, emocional e psicológico. Ele, por sua vez, procurava encher sua vida de amor, cuidando dela com muito carinho e afeição. Ficava ao seu lado durante horas intermináveis. Muitas vezes orava a Deus pedindo que os ajudassem. Ele chegou a pintar o quarto de um amarelo que transmitia a vida, a luz e o brilho do sol. Somente para dizer o quanto era intenso seu amor por ela. Assim, ela chegava a sentir-se a doente mais feliz do mundo.
Um dia, porém, o que todos temiam aconteceu: sua avó morreu. Então, seu avô pediu que colocassem a misteriosa palavra escrita em cor amarela nas fitas, nas coroas de flores, no caixão, em todo o funeral… E ali, pela última vez, todos os familiares se uniram em torno da amada vovó, a fim de prestarem sua última homenagem de amor e gratidão pela sua existência. Nesse momento, ele se aproximou trêmulo e abatido. Sabia que havia chegado a hora de prosseguir sozinho, respirou profundamente e com a voz embargada pelas lágrimas cantou para a mulher da sua vida, a linda canção SHMILY.
De fato eles se amaram com toda a intensidade dos seus corações, de uma forma profunda e verdadeira. E assim, ao longo de toda sua vida, juntos eles viveram S-H-M-I-L-Y, que significa: See how much I love you (Veja o quanto eu amo você).

Fonte: www.vidaadois.net


Era um casal perfeito, bem sucedido em tudo, para mim era um padrão de felicidade. Um belo dia, aquele bom amigo aproximou-se de mim e confessou-me para o meu espanto: – “não amo mais a minha esposa, não consigo nem olhar para ela, meu casamento acabou”.
Atualmente, como nunca, milhares de pessoas estão concluindo que o amor acabou e simplesmente se divorciam. A maioria afirma: “eu mereço ser feliz, cansei de sofrer”. Excetuando os casos de abusos físicos e traições, existe uma parcela de casais que se separa por motivos que Deus não reconhece como justificáveis.
O que vai no coração de Deus a esse respeito? O Senhor deixa claro em sua palavra alguns aspectos importantes a meu ver, tais como:
  1. O casamento foi instituído por Deus para ser eterno, sendo assim, Ele oferece o Seu amor – que é capaz de sustentar os mais difíceis relacionamentos.
  2. Satanás trabalha com extremo esforço e dedicação para impedir o amor – ele usa todos os recursos, inclusive os meios de comunicação, para imprimir conceitos mentirosos na mente humana, fazendo com cada pessoa obtenha uma compreensão equivocada sobre o amor.
  3. Com os conceitos de estética corrompidos, padrões morais rebaixados e um arsenal de pensamentos para sustentar a racionalização dos valores divinos, Satanás obtém vitória sobre a vida destes que seguem a multidão.
  4. Para Deus o amor “Eros” não é medido pelo nível do sentimento, pelo contrário, ele se constitui como um “princípio” divino. Contudo, não significa que o amor seja algo puramente racional, ele envolve sentimento também. Em outras palavras, o verdadeiro amor não se rende apenas aos sentimentos, mas principalmente a razão – ele é responsável, conseqüente e temente a Deus, porque vem do Senhor.
  5. Se uma pessoa sente que não tem mais amor por seu cônjuge, compreenda que isso não ocorreu da noite para o dia, foi um longo processo de afastamento da fonte do amor, que é Deus. O Todo Poderoso nunca aceitou a falta de amor como um motivo suficiente para por fim a um casamento. O Senhor Deus não quer perder a oportunidade de realizar um grande milagre na vida de um casal fracassado no amor.
  6. Deus deseja que Seus filhos, clamem a Ele, diariamente, para receberem o amor. Saiba que o amor é um milagre diário. “Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.” Romanos 5:5.
  7. Quando uma pessoa foge da oportunidade de um milagre, rejeitando-o, por não acreditar ou desejá-lo, está negando ao próprio Deus, está fechando o seu coração e negando uma oportunidade de salvação, crescimento e redenção. “Aquele que não ama, não conhece a Deus, porque Deus é amor”. 1João 4:8
  8. O cristão é um peregrino neste mundo e vai passando por muitos desafios que promovem o seu crescimento moral e espiritual. O seu grande desafio é vencer todos os obstáculos e jamais fugir de nenhum deles, porque quem foge de um acaba voltando futuramente ao mesmo ponto que o confrontará. Para vencer é preciso coragem, que só o Espírito Santo pode conceder, e muito apego a Cristo Jesus.
Como retornar ao milagre do verdadeiro amor?
a. Considere com cuidado os seis passos iniciais, a seguir:
  1. Faça um novo concerto com Deus;
  2. Dedique-se a consagrar sua vida fazendo uma reforma em seus hábitos, cuidando do que você vê, ouve e come;
  3. Ore e jejue pelo seu cônjuge e ore também com ele;
  4. Levante-se nas madrugadas para clamar pelo batismo do Espírito Santo e ler a Palavra de Deus;
  5. Não imagine que o amor retornará da noite para o dia, porque não foi assim que ele desapareceu, ou seja, não tenha ansiedade, viva um dia de cada vez;
  6. Não desista de persistir e Deus realizará o milagre.
b. Dicas de atitudes pessoais para caminhar em direção ao amor:
  1. Procure compreender o que é amor;
  2. É preciso decidir se você aceita amar novamente;
  3. Identifique mágoas e converse sobre elas com seu cônjuge;
  4. Diminua urgentemente as críticas, o desprezo e o desrespeito;
  5. Crie significados na vida em comum, não trate tudo como normal;
  6. Realize rituais em casal, seja criativo;
  7. Treinamento de afeição e admiração, procure observar as coisas boas;
  8. Resolva o que tem solução;
  9. Procure ajuda em terapia de casal;
  10. Tenha cuidado com fantasias sobre outras pessoas;
  11. Pergunte: quais necessidades suas não estão sendo supridas? Converse com o seu cônjuge sobre elas de maneira que ele se sinta informado e não criticado?
  12. Pergunte também: quais necessidades do seu cônjuge você não tem suprido? O que pode levá-lo a não corresponder às suas?
Sinto-me privilegiado por ter testemunhado milagres de casais completamente fracassados no amor e que se permitiram viver o plano de resgate de Deus. Agora, encontram-se unidos, usufruindo da incrível e prazerosa experiência do amor. O que era aparentemente impossível, transformou-se em emocionante história de amor.
Acredite, negue-se a si mesmo e ouse em confiar em Deus. Viva o extraordinário passo da fé, por amor a Deus. E prepare-se para viver o que você ainda não conhece. Viva o verdadeiro amor.

Manasses Queiroz
Conselheiro Espiritual


Nenhum comentário:

Postar um comentário