16 de maio de 2016

Reflita:Continue batendo!

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Mateus 7:7).
Em um de seus livros, Dwight L. Moody conta de um estudante que perguntou ao seu professor: “Por que tantas orações ficam sem resposta? Não entendo. A Bíblia diz: ‘Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á’. Mas me parece que muitos batem e não são recebidos”.
“Você alguma vez já não esteve sentado junto à lareira”, respondeu o professor, “numa noite escura, e ouviu uma batida à porta? Ao abri-la, e olhar para as trevas lá fora, já não aconteceu de não haver ninguém, e de ter ouvido só os passos apressados de algum garoto travesso que bateu mas não tinha intenção de entrar e por isso saiu correndo? Assim acontece frequentemente conosco. Pedimos bênçãos, mas não as esperamos realmente; batemos, porém não pretendemos entrar; tememos que Jesus não nos ouça, não cumpra Suas promessas, não nos receba; e assim vamos embora.”
“Ah, entendi!”, exclamou o jovem, com olhos brilhantes diante da nova compreensão. “Não se pode esperar que Jesus atenda batidas de alguém que sai correndo. Ele nunca prometeu isso. Devo continuar batendo, batendo, até que não Lhe reste outra alternativa senão abrir a porta!”
Se a resposta a alguma oração não chega, procure descobrir a razão. Pergunte a si mesmo: Há algo na minha vida que não deveria existir?
Muitos anos atrás, li este conselho: “Quando a oração é o que deve ser, será uma ocasião de autoexame, bem como de um exame por parte de Deus. Não temos tempo de ser vagos em nossas orações particulares. … Não faça vagos pronunciamentos acerca do amor, enquanto não tiver orado especificamente para que Ele corrija seu falso orgulho e preconceito. Mencione as pessoas por nome. Mencione o nome dos lugares. Dê nome aos eventos. Escave o dia de ontem, se você ainda não se arrependeu. Limpe a lousa, mas coloque tudo na lousa. Se o que você sente é gratidão, soletre-a.”
Jesus Se importa com você. Então, continue batendo!

Amilton Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário